segunda-feira, janeiro 24, 2011

Filme "Nosso Lar" e outros pensamentos.

"Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro" (Clarice Lispector) 




Não sou espírita. E já também não sei se sou católica. Se ser católica significa ser batizada, crismada e ter primeira eucaristia, pois bem, eu sou. Agora se é ir a Igreja e concordar plenamente com os dogmas católicos, então não. Considero-me cristã. Não acredito em Alá, nem Buda, nem acho que Jesus Cristo foi só um profeta. Sou apenas uma pessoa que tem fé. E a minha fé assim como a de todos vem justamente daquilo que não podemos explicar. Acredita-se e fim. 


Ontem, ao assistir ao filme Nosso Lar, tive vários pensamentos. Não li o livro e nem mesmo conheço os estudos espíritas, embora tenha uma grande admiração e respeito (porque não, afinidade?) com os seus ideais. Então, para mim, houve algumas surpresas e questões. A primeira coisa que busquei ao ver as imagens do Umbral e do próprio Nosso Lar foi: Como eu achava que era o céu? e o inferno? e o purgatório? - Bem, como católica, essas entidades imaginárias sempre foram recorrentes em meu subconsciente, até que me dei conta de que eu nunca tive na verdade uma verdadeira idéia física do que fosse o céu ou o inferno e etc. As imagens mostradas no filme são absolutamente questionáveis para alguém que desconhece os estudos espíritas - uma cidade em outra dimensão, computadores, televisores, enfim.. algumas supresas com relação àquele imaginário comum: um dia ensolarado, jardins, flores, clima ameno e feliz. Duvido que alguém faria uma descrição diferente do céu. 


Mas o mérito do filme, ao meu ver, e o que mais me fez pensar de ontem pra hoje foi: como são as pessoas que estão no céu? como elas devem ser? E nesse quesito, ponto para o espiritismo: o céu é um lugar onde existem pessoas do bem. Todos iguais entre si, respeitando-se, amando-se, unindo-se. Não importa como será o "céu" fisicamente, mas se as pessoas que o compõem realmente for assim.. então, estamos falando a mesma língua. E o outro ponto positivo para o espiritismo é: isso não acontece sem aprendizagem. E essa aprendizagem não é só na vida terrena. O Ser humano precisa aprender constantemente, porque ele tem falhas, erros, defeitos. E nem sempre ele tem consciência dos defeitos. (aliás, quase nunca tem) 


As pessoas admitem defeitos que na verdade as torna ainda mais vítimas - eu me preocupo demais com as pessoas, eu abro mão pelos outros, eu dou mais do que recebo, etc. Ora, defeitos assim são fáceis e até bons de admitir. Estou falando daqueles defeitos tão humanos, que todos sentem, e que temem admitir como se a partir do momento que dissessem ele se tornasse mais real - a inveja, o egoísmo, a traição, a falsidade. Não me venha dizer que nunca sofreu de nenhum desses, porque eu simplesmente não acredito. 


Pessoas mentem todos os dias o tempo todo. Pessoas enganam, traem, e nem sempre com a intenção de fazer mal a alguém, mas não estão sendo corretas. Pessoas que traem seus companheiros. E não falo só de infidelidade - eu falo de mentira, deslealdade, falta de respeito. Pedem perdão, não se arrependem e fazem de novo e de novo e de novo.Quem nunca ficou com uma pessoa comprometida e ainda diz: "Não sou eu que tenho compromisso" Como se isso livrasse sua culpa. Isso se chama traição. Quem nunca julgou pessoas que tem mais amigos do que vc, gostam mais de outra pessoa do que vc, tem um(a) namorado (a) mais bonito, ganha mais, diverte-se mais, enfim.Isso se chama inveja. Quem nunca se irritou pq alguém não fez o que vc queria que aquela pessoa fizesse. Deixa eu te avisar: isso é egoísmo. Julgar atos, criticar pelas costas e sorrir pela frente. Vamos lá, sejam sinceros consigo. Sim, estamos todos sujeitos. Ninguém está livre. Ninguém tem caminho reto, direto e sem dor ao "céu" só por causa de uma dúzia de ave-marias e pai-nossos ou uma doação em dinheiro pro Boldrini.. o arrependimento real é muito mais dificil. 


No fundo, eu tenho pena daqueles que acham que não erram. Já se acham bons o suficiente. Não roubo ninguém, não mato, vou a missa, não faço mal a ninguém - vou pro céu. Tenho pena dos que têm essa certeza. Tenho penas dos que se consideram bonzinhos. Se consideram prontos.


Prefiro pensar que ainda não estou pronta. Que ainda erro muito e tenho muito ainda pra aprender com cada erro. Tenho que melhorar cada vez mais, evoluir mais. E ainda assim, não estarei pronta. Porque o que separa o humano do divino é justamente isso: a imperfeição. 


Independente de religião, crenças ou fé - tenhamos a consciência de sermos humanos, e por isso frágeis, suscetíveis, ruins.. e busquemos cada vez mais ser uma pessoa melhor. E quem tiver com essa ideia, independentemente de qual religião for,  estou dentro! 


Quanto ao filme em si - atuação fraca, efeitos e cenários duvidosos, porém uma boa história! Vale a pena. 

domingo, janeiro 16, 2011

10 Coisas/Pessoas que eu não gosto. Muito.

1.Acordar cedo: Deve fazer quase uns 20 anos que eu tenho que acordar cedo. E eu NUNCA me acostumei. Entenda-se cedo para mim: em dias úteis, antes das 8h. Fim de semana, Antes das 10h. Eu já não gosto de acordar. (é sério, pra mim, a sensação de sair do útero deve ser mais ou menos parecido com isso..) Com despertador, é pior ainda. Sem ter dormido o suficiente, a morte. E acho que eu não vou me acostumar mesmo (e nem vou ter que deixar de acordar cedo)


2. Pseudointelectuais: (isso inclui também intelectuais posers) Gente que fica criticando tudo que é popular. Vai contra  todas as unanimidades apenas para ser do contra. Fala mal de BBB, Novelas, mas assiste Realtys e Seriados de TV por assinatura. Fala para as pessoas lerem um livro mas não lê bosta nenhuma. Critica as futilidades. É burguês e faz discurso de esquerda. Realmente, é um tipinho que cansa muito. Principalmente nas redes sociais. 

3. Piriguete que se faz de santa. Precisa explicar? É discurso moralista, é julgamento alheio, é charminho, é cu doce.. Ganhou liberdade, está descendo até o chão, encoxando, pegando cara com namorada, casado, etc. o affair da amiga e assim vai. Dia seguinte, nova posa de santinha. Odio mortal! (todo meu respeito às periguetes assumidas =) ) 

4. Encontrar uma garrafa de coca-cola na geladeira com só um pouquinho. Pow, bebesse tudo né? Fica iludindo as pessoas (o mesmo acontece com o suco, o leite e assim por diante...) 

5. Perceber que a pessoa não fez o mínimo esforço pra entender algo. Eu tenho o hábito de antes de perguntar alguma coisa, sempre procurar ver se a resposta não está na minha fuça. Parece óbvio né? Mas não é. Você manda um email. A pessoa responde dizendo que não entendeu e perguntando tudo que vc já escreveu. Tem uma placa em algum lugar. A pessoa te pergunta aquela informação ao invés de ler. Resumindo: não gosto de quem tem preguiça de pensar. 

6. Fila desorganizada. Eu não sou uma pessoa organizada, mas me dá funiquito não saber onde começa ou onde termina uma fila. Custa um ficar atrás do outro? Já cheguei a fazer a louca e organizar a fila do banco e da barraquinha de tapioca lá no festival de inverno de amparo.rs

7. Sapato que aperta/machuca. Nessa caso, é uma escolha né? É que tem alguns que são traidores. Vc olha aquela sapatilha linda, fofa, sem salto  e pensa: Que confortável! Mentira. Ela vai arruinar sua noite, seu dia de trabalho, etc..

8. Bebidas mornas. Ou é quente. Ou gelado. Não gosto de nada morno. Água morna, suco morno, leite morno, banho morno.. écati. 

9. Casais bregas. É perfil único no orkut. É status de casado sem estar. A foto juntos no perfil. É declaração all the time. É apelido besta. É voz de "bebê" (leia-se: retardado) É um fazendo ceninha pro outro. Fadiga, né?

10. Falar no telefone. Não sei em que momento eu deixei de gostar pra chegar ao ponto até de evitar. Talvez seja pq eu esgotei toda minha cota na adolescência. Hj prefiro emails, sms, sinal de fumaça.. o que for, menos o telefone. Desenvolvi repulsa. rs

(a lista não é por ordem de importância, a não ser o primeiro item: eu não gosto MESMO de acordar cedo) 
Ocorreu um erro neste gadget