segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Acabou

Lembrei-me de uma das muitas histórias do fundo do busão que, talvez, fora de contexto, não tenha lá muita graça - simplesmente porque aqueles que aqui lerem, (embora eu saiba que não sejam muitos..) não verão a expressão facial, nem a prosódia que eu vejo quando me lembro dessa história. Enfim, foi engraçado. A Mari narrava sua saga até Ribeirão Preto (se não me engano..), fim de mês, grana curta e vários pedágios. Mas, tudo pela vida acadêmica. E aí, no último pedágio o pai dela disse a moça do pedágio: Acabou o dinheiro!!!
Pois é, estou como ele ante a mulher do pedágio: acabou.
Acabou as férias da faculdade.
Acabou o carnaval.
Acabou o salário.
Acabou o fígado.
Acabou a novela das 8. (última semana)
Acabaram os churrascos de sexta feira.
Acabou a disponibilidade de tempo pra dedicar ao ócio.
Acabou as renovações do livro pela internet.
Acabaram as roupas na minha gaveta.
Acabou o "corte de cabelo"
Acabou meu perfume.
Acabou (não totalmente, mas..) os motivos para me perfumar..
Acabou os créditos no celular (tá, ainda tenho 5,00 reais.)
Acabou o verão...
ahhh.. esse verão vai deixar saudades... muitas saudades, tanto que já as sinto!

Mas.. por outro lado, isso anuncia matar as saudades..da sombra da arcádia, dos ares unicampeiros, da gargalhada da Aline, dos chiliques da Kirs, do uouoooo da Andrews, do abraço da Heloísa, dos papos cabeça da Stelinha, do meu último banco no busão e da cumplicidade que ele remete, que eu vou sentir tanta falta, mas que sempre vão estar na minha memória, da itaipava (ops.. ainda não deu pra sentir saudade..) enfim.. estou de volta, ainda que sem caderno, mas com várias histórias pra contar e alguns suspiros.
Logo vai começar o outono.. detesto o outono. Quero esperar o próximo verão! mas ainda tem muitas estações até lá..

"Mudaram as estações, nada mudou, mas eu sei que alguma coisa aconteceu, está tudo assim.. tão diferente..."

Senhor, permita......

Que eu aceite as minhas derrotas assim como fico feliz com minhas vitórias, sem acusar nada ou ninguém ao meu redor.
Que a cada dia eu possa agradecer pelo nascer do sol como pela noite que se vai.
Que eu possa perdoar a quem me fere sem mágoas, sem me sentir uma vítima por isso.
Que eu entenda que as dificuldades da vida fazem parte do meu crescimento como ser humano. Que eu possa ser um ombro amigo a quem precise, sem me sentir especial por isso, e sem me revoltar quando esse mesmo ombro não é reconhecido.
Que eu seja humilde e perceba que a minha volta outros sofrem bem mais do que eu.
Que eu consiga sorrir mais, chorar menos e ser feliz com o que tenho.
Que eu consiga aprender que sou apenas mais um ser vivo nesse imenso universo só Seu, e respeite todas as outras formas de vida como sendo criação Sua.
Que eu aprenda que a vida me foi dada de presente e que só a Ti ela pertence.
Que eu tenha mais bondade, piedade, carinho, compreensão e amor para com meu irmão, mesmo com aqueles que me traem. E principalmente, me ensine a não pensar em mim, deixando de ser egoísta até em minhas orações usando o pronome "EU".

Obrigado Senhor !!!

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Penso.. logo, escrevo.


Quando eu tinha..bem.. não sei quantos anos eu tinha, eu li só um capítulo desse livro. O mais famoso, o da raposa. E não entendi absolutamente nada. o Diretor da escola que eu estudava era fascinado por esse livro, e sempre falava dele nas suas palestras..e eu continuava sem entender muita coisa. Por fim, durante minha infância, nunca tive o interesse de lê-lo.
Um dia, já adulta, decidi ler. Afinal, é um clássico.
Foi amor a primeira vista.
E olha que eu não me deixo encantar fácil.. por medo e insegurança, adoto uma postura cética e realista diante de várias coisas.. mas o Pequeno Príncipe simplesmente me encantou.
E a cada nova leitura, ele me encanta novamente.
Recentemente conheci uma pessoa que também tem como livro preferido o Pequeno Príncipe, e mesmo sem saber muito sobre essa pessoa, eu já lhe dei muitos créditos, afinal, são poucos que tem a sensibilidade pra entender a sua simbologia.
Pra terminar essa história, essa pessoa que eu conheci ganhou esse livro de Natal, e decidiu que todos os seus amigos deveriam lê-lo também. E eles leram. E eles também se emocionaram.. e de repente, vi um grupo de pessoas que poderiam estar falando sobre futebol, ou programa de tv, mas não.. conversavam sobre as impressões que tiveram com o livro. Chato, né? Pra alguns sim. Enfim.. repito: são poucas as pessoas que, ao meu ver, tem sensibilidade pra "entender" e se encantar com tanta simbologia, e eu vi isso naquela mesa , naquele dia... e um dos comentários que mais me chamou a atenção, veio meio que perdido, e quase passou despercebido ante as citações famosas. Na verdade, acho que sou eu ouvi. É, só eu ouvi. E toda essa enrolação foi só pra colocar essa citação aqui:

" - Não tenho mais nada que fazer aqui, disse ao rei. Vou prosseguir minha viagem.

- Não partas, respondeu o rei, que estava orgulhoso de ter um súdito. Não partas: eu te faço ministro!

- Ministro de quê?

- Da... da justiça!

- Mas não há ninguém a julgar!

- Quem sabe? disse o rei. Ainda não dei a volta no meu reino. Estou muito velho, não tenho lugar para carruagem, e andar cansa-me muito.

- Oh! Mas eu já vi, disse o príncipe que se inclinou para dar ainda uma olhadela do outro lado do planeta. Não consigo ver ninguém...

- Tu julgarás a ti mesmo, respondeu-lhe o rei. É o mais difícil. É bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar os outros. Se consegues julgar-te bem, eis um verdadeiro sábio."

(Antoine de Saint-Exupèrie, Le Petit Prince)


.... Será que existe alguém que sabe julgar a si mesmo????????

Devem ter.. afinal, há tantos vaidosos por aí.. mas isso, já é outro capítulo...


quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Cause sooner or later it's over..

Sorte de hoje:
Uma boa época para concluir tarefas inacabadas

Vejamos...

  • 5 quinzenários para fazer.
  • Escrever o primeiro rascunho do planejamento 2007
  • 2 livros pra ler: "Por uma análise automática do discurso" e a "A cor como informação"
  • faz a carteirinha do ônibus
  • dar banho no cachorrinho
  • passar a limpo meu caderno de francês
  • pensar na minha IC
  • arrumar minhas coisas para o início do 7º semestre
Acho que um dia só é pouco...
Me digam: porque eu sempre deixo tudo pra última hora???
Por que eu deixo as coisas pela metade??
Como é que com tanta coisa pra fazer eu consigo pensar em "besteira"?
Por que eu leio essa merda de sorte do dia do orkut?
Começou aquele intervalo insuportável entre o carnaval e o ano novo..
e logo começa tudo outra vez...
mas.. não é de todo ruim, não!
Ocupa-se, Cabeça! Ocupa-se!

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

sobre o carnaval


Sinto que devo dar o meu parecer quanto ao carnaval. Afinal, há tempos não se fala em outra coisa. São as vinhetas da globo, os comentários, os planos, e a pergunta mais ouvida nos últimos dias foi: "e o carnaval? vai fazer o que?".
E agora, bem, está aí: 4 dias em que não se fala outra coisa que não seja o carnaval.
Sinceramente, não gosto. Já tentei gostar, pq, é inevitável.. mas tem algo que me incomoda. Talvez o axé, o pagode... enfim, o clima não me cativou. Esse clima de "Oba! Oba" Ninguém é de ninguém, folia sem parar.. não faz muito meu tipo.
Mas tem outras coisas que eu gosto. Gosto de poder dormir até o meio dia. Gosto de chegar no fim do domingo feliz porque no outro dia não é "segunda-feira-útil", gosto de poder tomar sol durante a tarde, gosto de estar com pessoas que estão se divertindo e por isso eu acabo me divertindo também. Gosto da sensação de fazer algo totalmente banal e ainda assim poder me divertir. Gosto de não gostar de carnaval e gostar por ter boas companhias por perto.
É..gente que fala besteira, que tá bêbado e não fala coisa com coisa, que dá cambalhotas na grama, que perde o compromisso com a realidade mas que me fazem rir muito!!!! Não é nada muito profundo ou que exija muito tempo de convivência pra saber.. simplesmente gosto da companhia, enquanto ela durar.. mesmo que não seja muito!
Hoje é segunda feira de carnaval.. e eu quero fazer o possível pra "viver tudo o que há pra viver" Vamos nos permitir...!!!!!

Foto: Nozes, e o Gui,o fotogênico. Preparando-se pro Carnaval nas Estrelas

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

E no meio de tanta gente...


E no meio de tanta gente eu encontrei você
Entre tanta gente chata sem nenhuma graça,
Você veio..
E eu que pensava que não ia me apaixonar
Nunca mais na vida
Eu podia ficar feio só perdido
Mas com você eu fico muito mais bonito
Mais esperto
E podia estar tudo agora dando errado pra mim
Mas com você dá certo
Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Eu podia estar sofrendo, caído por aí
Mas com você eu fico muito mais feliz
Mais esperto
Eu podia estar agora sem você
Mas eu não quero, não quero

(Não vá embora,
Marisa Monte)

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Negociando....





-Quanto é?
-18 reais ..
-Oh loko..
- Era 22..
- Ah..mto caro!
- Posso fazer por 15..
- Mas a gente nem vai usar mais..
- usa sim.. sempre usa..(?)
-ah não.. mas a gente precisa de SEIS
- então eu faço por DEZ!


adoro o jeitinho brasileiro =)

domingo, fevereiro 11, 2007

Oh domingo...

o1h07 da manhã.
Já é segunda feira, eu ainda não dormi, mas, se alguém me ouvisse falar que ainda é domingo e essa pessoa fosse daquelas legais com certeza revidaria sem hesitar "domingo não, segunda."
Domingo monótono.. acho que há tempos não tinha um domingo tão monótono.
É irônico como o ócio cansa. E de repente, vc se cansa de fazer nada.
Não é não ter nada pra fazer, mas é que é domingo! Não dá pra fazer coisas que já temos que fazer nos dias úteis - me recuso. Por fim, até esbocei uma possível atitude útil.. olhei para os livros, pensei nas aulas dessa semana. Anotei alguns afazeres pra essa semana e peguei a caneta e escrevi uma carta.
É.. o dia não estava produtivo.
Mas não mesmo. Assisti até ao Fantástico. Quer dizer, quase assisti, porque acabei dormindo.. minha mãe até perguntou se eu estava bem.. mas vi a entrevista com a mãe do menininho que foi morto nessa semana, e que foi destaque na imprensa essa semana, e que levantou a questão da maioridade penal.
Ora, reconheço a dor dessa família, mas quantas e quantas crianças de 6 anos sofrem violência todos os dias, quantos adolescentes estão optando pelo mundo do crime e só quando se atinge uma família que tem uma casa bonita pra receber a reportagem da Globo é que resolvem repensar a questão da maioridade penal? Questão que nada mais é do que mais uma vez tapar o sol com a penera...Diminuir a maioridade não vai resolver o problema da criminalidade enquanto houver pessoas que não tem acesso aos direitos básicos de cidadão: saúde, moradia, EDUCAÇÃO!!!... enfim.. acho que tá explicado porque eu acabei dormindo em frente a tv.
Mas foi um dia esclarecedor.. descobri que a angústia da semana passada era tpm mesmo.
Ainda estou ansiosa, mas pelo menos, não estou respondendo atravessado aos "bom-dia". Talvez agora eu já esteja melhor pra tentar resolver algumas coisas... é, tá rolando umas tretas aqui, e depois de pensar, acho que vou manter minha postura de sempre, correr atrás mais uma vez... acho que é meu carma mesmo, mas o que eu posso fazer se não consigo conviver com coisas no meio termo? como diria a Dna Edith "É ou num é ou num é?". A Helo e a Cris bem que tentaram me convecer do contrário, mas acho que é o que vou fazer mesmo.. confesso que ainda não sei bem como agir numa situação dessa que tá rolando aki, nunca imaginei receber certas acusações.. e até agora, confesso que não entendi. Aliás, todos que me conhecem e que souberam da história tb não entenderam..enfim, acho que há muito pra se esclarecer.. mas cada um tem o direito de fazer o julgamento que quer das situações, respeitarei as decisões. Só quero esclarecer.
Tá chegando o carnaval...detesto o carnaval. E, francamente, como é difícil não gostar de carnval no Brasil.. tudo gira em torno desse dia!
Bom.. vou seguir a filosofia do meu amigo Jão "pensamento postitivo" - 4 dia pra ficar fazendo nada!! Dedicando ao ócio e pensando bobagens. Oba.
Eh.. acho que ainda tem vestígios da tpm por aqui..
Enfim... vamos que vamo, mais uma semana!

sábado, fevereiro 10, 2007

Telegrama - Zeca Baleiro


Adoro essa música.
Houve um tempo que ela me deixava triste.
Porque, além de ter marcado uma época que não existia mais,
me fazia querer sentir vontade de 'mandar flores ao delegado'.
E eu não podia.
Mas hoje...
hoje eu acordei assim.

Zeca Baleiro - Telegrama
Zeca Baleiro

Eu tava triste, tristinho...
mais sem graça que a top model magrela na passarela
eu tava só, sozinho...
mais solitário que um paulistano
que um canastrão na hora que cai o pano
tava mais bobo que banda de rock
que um palhaço do circo vostok


mas ontem eu recebi um telegrama
era você de aracaju ou do alabama
dizendo: Nego, sinta-se feliz!
porque no mundo tem alguém que diz
que muito te ama
que tanto te ama
que muito (muito) te ama
que tanto (tanto) te ama

Por isso hoje eu acordei com uma vontade danada
de mandar flores ao delegado
de bater na porta do vizinho
e desejar bom dia
de beijar o português da padaria

(...)

Eu tava triste, tristinho...
mais sem graça que a top model magrela na passarela
eu tava só, sozinho..
mais solitário que um paulistano
e um vilão de filme mexicano
tava mais bobo que banda de rock
que um palhaço do circo vostok
mas ontem eu recebi um telegrama
era você de aracaju ou do alabama
dizendo " Nego, sinta-se feliz!
porque no mundo tem alguém que diz
que muito te ama
que tanto te ama
que muito (muito) te ama
que tanto (tanto) te ama
Por isso hoje eu acordei com uma vontade danada
de mandar flores ao delegado
de bater na porta do vizinho
e desejar bom dia
de beijar o português da padaria

(mê dê a mão vamos sair pra ver o sol...)

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Just a litte patience..


Quinta-feira.. faz uma semana. E acho que posso me resumir a um turbilhão de pensamentos. Minha semana foi bem agitada. Muita informação de todos os lados, e junto com tudo isso: ansiedade! Que sentimento estranho não? Provoca um desconforto no organismo da gente. Há tempos não sentia assim, nessa intesidade. Nova rotina, novo horário, novas estratégias, novas pessoas no convivio. Minha vida profissional parece estar mudando.. aparentemente, pra melhor, mas mesmo que seja pra melhor, mudanças implicam em ansiedade.
Sonhos esquisitos,aperto no peito.. inquietude,.. ah.. as unhas.. vontade de comer doce.. cabeça que pensa, pensa, pensa.. "e se não der certo?". Tem que dar.
Hoje de manhã, quando me dirigi tranquilamente a sala de aula novamente, quando vi aquelas carinhas sonolentas olhando pra mim, e quando não senti minha voz trêmula como era no começo, vi que.. não sei mais fazer outra coisa. E agora, José?
Pensa, pensa, pensa.. e a cabeça não pára de pensar.
Hoje.. depois de uma semana.. me sinto realmente bem. Definitivamente, agora tudo está bem claro. Há quem diga que se conselho fosse bom não se dava.. mas, não posso deixar de agradecer os muitos que tive nos últimos dias, e que, fizeram meio que um plim nas minhas idéias, afinal.. um charuto, as vezes, é só um charuto!
Quinta-feira.. mas um fim de semana vindo aí.. talvez mais um filme ruim pra ver, alguma gordisse pra aliviar a ansiedade (ou os vermes), uns dias pra se dedicar ao ócio, dormir até meio dia, essas "coisinhas" que podem até não enobrecer, mas fazem bem pra caralho!!!
E sigo nessa minha vida aí.. errante sim, mas não tanto quanto pintam.. e dando valor aos momentos, ainda que acabem!

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Horóscopo de hoje

Sensível demais você hoje; mania de perseguição e tormentos mentais por bobagens tendem a arruinar a disposição favorável dos astros. Sacuda essa onda! Mire os espaços amplos, mergulhe fundo num estudo interessante, doe seu amor a quem precisa, seja um forte aliado do bem e da luz, não se entregue.



......

"Ler é saber que o sentido pode ser outro".
(Eni Orlandi)

domingo, fevereiro 04, 2007

Quase


Ainda pior que a convicção do não é a incerteza do talvez, é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cor: está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz.
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. Preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Para os erros o perdão; para os fracassos, chance; para os amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é um romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em si.
Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, pois embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.
(Autoria atribuída a Luís Fernando Veríssimo, mas que ele mesmo diz ser de Sarah Westphal Batista da Silva, em sua coluna do dia 31 de março de 2005 do jornal O Globo)


O texto já virou clichê mas eu continuo gostando :)
Foto: Kirs.. amiga alto astral, que faz acontecer!

sábado, fevereiro 03, 2007

To pensando..



Horóscopo - 03/02/2007

A Lua em Virgem pede que você reflita bem antes de se expressar, para não ser muito levado por intensas emoções e acabar se arrependendo depois.


Eh.. to refletindo...

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

I'm not a perfect person.


Vivo mudando o meu perfil do orkut.. tento adaptá-lo às fases que eu estou passando. E um deles, me lembro que eu disse que não queria me descrever, porque, por mais que eu o fizesse, jamais poderia evitar o tão cruel pré-julgamento. Cruel porque não permite réplicas. Cruel porque é parcial. Baseia-se em hipóteses criadas por cada um, tendo em vista o próprio egoísmo humano. Sempre cito o Barthes: Escrever é o homem a quem se recusa a última réplica. Mas a verdade, é que sempre nos recusam a última réplica.
Julgamos e somos julgados o tempo todo. Eu julgo. As vezes sem querer.. e quero saber quem é hipócrita o suficiente pra dizer que não julga. Seja com maldade.. visando denegrir, ou seja por puro ego, tentando convencer a si mesmo de que alguém não pode ser melhor que você (vulgo, despeito) seja num comentário superficial, que não vai magoar ninguém, mas que também, não é da sua conta. Afinal, cada um faz o que quer da vida.
O fato é que não sei lidar com isso. É patético.. eu, que sou humana tanto quantos os outros, que erro, que acerto, que me engano.. que julgo, não sei lidar com o julgamento alheio. Poderia culpar o zodíaco, dizendo que tem a ver com a tal fama perfeccionista do virginiano. Aquele que é exigente com os outros, mas mais ainda consigo mesmo, mas a verdade, é que me abster da culpa não mudaria nada.
Não basta os outros me julgarem, eu ainda por cima levo em consideração, e fico me culpando por não ter agradado, por ter feito ou não isto ou aquilo que me disseram que eu deveria fazer. Mesmo que as vezes a modestia não me deixe reconhecer o que eu esteja fazendo de errado.
Conviver...definitivamente, é uma arte que eu não domino. Assim como não sei cozinhar, não sei fazer artesanato, não pratico nenhum esporte, não sei conviver. Não sei o que deve ou não deve ser relevante.. o que pra mim, ao meu julgamento, é apenas regras de boa vizinhança pode ser visto como falsidade. O que pra mim, pode parecer dedicar atenção, para outro, pode parecer incoveniência. O que pra uns, é sentimento.. pra outros é pieguismo. E nessas estou sempre me desculpando, me cobrando, me policiando.. tentando entender como funciona essa tal de convivência. Questionando o impacto das minhas atitudes. Até mesmo aquelas que não posso evitar, que são inerentes e que trazem aquilo que eu nunca vou conseguir mudar: minha essência.
Não sou vítima do sistema. Tenho meus defeitos. Minha parcela de culpa. Julgo também. E sei lá quem pode ter se ferido com o meu julgamento.. mas queria aprender a estar "nem aí". Queria pensar menos. Me preocupar menos. "vender essa merda" como diria a música de pagode. Mas só não quero, de jeito nenhum, perder ou magoar pessoas que eu gosto. Perder o direito de ao menos tentar me explicar, por uma má interpretação.. ou sei lá o que..
Ocorreu um erro neste gadget