sexta-feira, dezembro 28, 2007

Mais uma vez..

Te tenho com a certeza
De que você pode ir
Te amo com a certeza
De que irá voltar
Pra gente ser feliz
Você surgiu e juntos
Conseguimos ir mais longe

Você dividiu comigo a sua história
E me ajudou a construir a minha
Hoje mais do que nunca somos dois
A nossa liberdade é o que nos prende

Viva todo o seu mundo
Sinta toda liberdade
E quando a hora chegar, volta...
Que o nosso amor está acima das coisas...desse mundo

Vai dizer que o tempo
Não parou naquele momento
Eu espero, por você
O tempo que for
Pra ficarmos juntos
Mais uma vez

Te tenho com a certeza
De que você pode ir,
Te amo com a certeza
De que irá voltar
Pra gente ser feliz
Você surgiu e juntos conseguimos ir mais longe
Você dividiu comigo a sua história
E me ajudou a construir a minha
Hoje mais do que nunca... somos dois

Vai dizer que o tempo
Não parou naquele momento
Eu espero por você
O tempo que for
Pra ficarmos juntos
Mais uma vez...

Não parou naquele momento
Eu espero por você
O tempo que for
Nós vamos estar juntos
Estar juntos
Mais uma vez

quinta-feira, dezembro 27, 2007

"O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando vai-se morrer, lembrar que o dia morre,
Que o poente é belo, e é bela a noite que fica...
Assim é e assim seja..."

(Alberto Caiero)

segunda-feira, dezembro 24, 2007

*Bonne Noël! Feliz Natal*


Natal!!
Sempre gostei do Natal! Gosto dos enfeites, das festinhas de fim de ano.. dos cartões, das mensagens de alegria, paz, saúde, prosperidade.. dos presentes, das comidas..hum.. hehe de rever os primos de longe..
Com o tempo, o Natal foi mudando. E como tudo que muda, a gente se acostuma. No começo, me sentia triste..saudosista..porque o Natal não era mais como eu queria que fosse. Hoje, me acostumei. E o Natal passou a ser diferente. Triste se acostumar com as coisas né? Dá uma sensação de conformismo. Mas, até que ponto remar contra a maré? Por que não, procurar beleza no que se tem? Pode ser uma postura um tanto quanto covarde, mas..definitivamente, não nasci pra ficar dando murros em ponta de faca!
Bom.. é Natal! E esse, definitivamente, foi (está sendo..) um Natal diferente. Como lembrei agora pouco com a Mari, nem mesmo os meus tradicionais cartões de natal, eu escrevi. Quando eu vi, já era Natal. Presentes tb.. acabaram passando batido.. Foi tudo muito rápido, dinâmico, sem mto tempo pra pensar, organizar as coisas.. as idéias..as ações. As coisas tem acontecido por Inércia. É como se eu não controlasse. E eu, que adoro controlar tudo.. mas, no fundo, não estou me preocupando muito com isso. Acostuma? Sempre.

Bom.. mas pra não romper totalmente a tradição. Não poderia deixar de escrever um post!
Por mais que os sonhos não sejam os mesmos, por mais que o Natal de hoje não seja o mesmo que o da infância. Por mais que o sentido procurado não esteja presente. Que esse Natal possa servir de pretexto.
Pretexto pra propor mudanças a si próprio. Fazer planos. Realiza-los. Pensar, refletir, mudar!!!!! Buscar o que falta, o que deixa vazios. Renovar esperanças, resolver perrengues. Por fim a tudo que incomoda, que cutuca!
Aproveite o que for possível aproveitar.. procure aqueles por quem vc gosta, dê um abraço, um beijo carinhoso.. e diga: Feliz Natal!!!
Por que sempre vale a pena ser feliz! =)

domingo, dezembro 23, 2007

claro..

A Lua em Câncer e o Sol em Capricórnio marcam o período final de 2007 a partir do qual você terá a liberdade e a consciência plena de que é possível manter compromissos desde que eles contemplem o apoio, aceitação e suporte que você quer receber. Os relacionamentos que não podem lhe oferecer essa condição tendem a terminar.


ahhhm.. entendi... rs

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Contagem regressiva..

Estou em clima de contagem regressiva. E o pior, nem sei ao certo pra quê. Não sei o que eu estou esperando tanto que acabe, como seu eu soubesse o que vem depois. Li, há pouco tempo, uma reportagem sobre a ansiedade, e lá dizia que o problema da ansiedade é esse: vc tem pressa por tudo, porque acha que depois que acabar "vai passar" ou terá soluções. E não tem. E aí é que mora o problema, a pressa por resolver não resolve, logo torna-se um ciclo. Porque se não resolve, logo a ansiedade está a tona novamente.
E eu estou ansiosissima. Quero que encerre o ano letivo logo, sem saber se irei iniciar o próximo. Quero as festas de fim de ano, e nem mesmo sei o que farei nelas. Estou contando os dias para a minha formatura, qdo na verdade, me aperta o coração pensar que está acabando. E agora, José?
Estou ansiosa até pelo fim de semana. Um fim de semana que vai ser como todos os outros. Mas que eu quero que chegue logo. As unhas sentem os efeitos da ansiedade. Os chocolates tentam controlar. Mas ela insiste. Ela está lá. A tal ansiedade.
A ansiedade por algo que desconheço, que foge ao meu controle, que me deixa insegura.
Quem olha pra mim todos os dias, aposto que nem imagina do turbilhão que está minha cabeça. Sou assim. Falo no silêncio. Só eu sei, só eu sinto. Afinal, "forte é permanecer; quieto. " (Guimares Rosa)

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Por que?


Let me think about it..!



"É difícil dizer o porquê das coisas. Mais difícil ainda saber o porquê das coisas."
(Patrícia Galvão, Paixão Pagu - A auto biografia precoce de Patrícia Galvão)

Já repararam como é difícl responder uma pergunta que começa com o porquê? Lembro-me bem das perguntas das apostilas e livros didáticos, quando vc achava que tinha conseguido responder aparecia lá no finalzinho, "por que?", ou então, "Justifique." Hj, como professora, eu até entendo o porquê de tantas justificativas, não queremos respostas rasas..queremos que o aluno reflita sobre o que ele está respondendo. E tem coisa que faça mais pensar do que um porquê?
Uma palavrinha tão simples mas que reserva tanta complexidade. Até mesmo quanto a gramática. Diga-me, tinha necessidade de tantos porquês? É quase tão chato quanto a crase.
Se estamos falando que uma conjunção interrogativa: Por que - separado e sem acento.
Se é uma conjunção explicativa: porque - junto e sem acento.
Se é interrogativa, mas no final da frase - Por quê - separado e com acento.
E se é um substantivo, porquê - junto e com acento.
Tudo isso pra uma simples conjunção como tantas outras... só poderia ter tantas regras o próprio porquê mesmo.. Essa palavrinha que seja com ou sem acento, junto ou separada, deixa várias interrogações e para alguns, que tem uma relação de amor e ódio com essa palavra, rende até algumas noites de sono.
Eu sou uma dessas. Sou capaz de perder uma noite tentando desvendar o porquê das coisas. Como se tudo tivesse uma explicação. Como se tudo tivesse uma justificativa. Como se não houvesse "mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia". Mas tb.. não dá, quando eu vi, já pensei. Quando me dou conta, já perdi horas. E de repente, nem preciso mais de resposta.
Alguém disse aí.. que quando a gente acha que sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas. E não é que é bem por aí mesmo?

Então, por que eu penso tanto???
xiiiii.. melhor parar por aí!
Just enjoy!!

quinta-feira, dezembro 06, 2007

como te quero....

Fim de ano. Fim do oitavo semestre. Só mais um. Só mais seis meses pra ter em mãos o tão esperado (e suado) diploma. Só mais um semestre de EL's. E pra variar, sempre tem uma matéria picareta. (alguém já viu proficiência de algo que vcs desconhece...?? pois é..)
Algumas semanas para as férias do trabalho. Férias indeterminadas e não remuneradas. Já estou com saudade dessa nova escola que pude ficar tão pouco tempo mas que já me deu uma injeção de ânimo pra continuar dando aulas. Foram tantos momentos bons..O que será de mim ano que vem? Em qual escola estarei? Estarei em alguma escola? Creio que sim. Alguém já viu professora desempregada em país pobre? rss
Amigos secreto..aii.. gosto tanto! hehe.. Aniversários, confraternizações.. e pouco mais de um mês pra festa da formatura!!!!! - Quantos sonhos se realizando nesse dia... e um deles, meu discurso de ooradora! Sim, serei oradora!! Desde a 8 série tenhoo essa vontade, e fiquei deveras emocionada quando fui indicada e votada! =) Aguardem, um discurso breve, sincero e irônico (por que não? rss) Com cartazes, tchutchu, choros, flashes, risos.. aiii.. serão muitas emoções!!!!
Férias...... uma palavra que tem ums sentido incapaz de ser definido em um verbete. Como tantas outras palavras, não é mesmo? Rever os amigos que estão longe.. Rever a Pir!!! Ai que saudades dela!!! Fazer churrasco durante a semana. Assistir a novela sem peso na consciência. Durmir durante a tarde ou então acordar ao meio dia...
Férias.. como te querooo! =)

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Ana e o Mar.. MAR I ANA...


Ana aproveitava os carinhos do mundo
Os quatro elementos de tudo
Deitada diante do mar
Que apaixonado entregava as conchas mais belas
Tesouros de barcos e velas
Que o tempo não deixou voltar

Onde já se viu o mar apaixonado por uma menina?
Quem já conseguiu dominar o amor?
Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa?
Porque a gente nunca sabe de quem vai gostar

Ana e o mar... mar e Ana
Histórias que nos contam na cama
Antes da gente dormir

Ana e o mar... mar e Ana
Todo sopro que apaga uma chama
Reacende o que for pra ficar

Quando Ana entra n'água
O sorriso do mar drugada se estende pro resto do mundo
Abençoando ondas cada vez mais altas
Barcos com suas rotas e as conchas que vem avisar
Desse novo amor... Ana e o mar.. Mariana...

Mais do que feliz aniversário. Feliz Ano Novo. Feliz Vida Nova. Feliz Sonhos Novos. E que nesse novo ano de vida, a gente ainda dance muito "Stay a live", que possamos reconstruir e começar de novo. Pq vale a pena. Pq é verdadeiro. Pq eu te amo!! Muito!
Bjos.. Pechena!

quinta-feira, novembro 22, 2007

"Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"


Muito tempo sem atualizar. Pois é, meu computador morreu. Morreu mesmo. Ainda não estou acreditando que ele fez isso comigo.. como ele pôde me deixar nesse momento tão crítico: final de semestre, muitos trabalhos pra fazer, trabalhos em grupo que sempre são resolvidos por email, emails de socorro para professores... (sim, pq a gente sempre deixa pra última hora) Enfim, aquele ordinário me abandonou. Logo, abandonei o blog um pouco também!

Mas pra ele não ficar tão abandonado.. que tal uma musiquinha pra animar? O "som" desse momento na vida de uma pessoa eclética: O Teatro Mágico.

Já disseram várias coisas sobre esse grupo. Há quem ame. Há quem deteste. Os adeptos de som alternativo, no início, gostaram. Depois que virou moda, "desgostaram". Afinal, vcs sabem, existe a moda de ir contra a moda. (mas isso é uma longa história...)

Posso falar por mim. Sim, só comecei a conhecer quando se popularizou. E curiosamente, conheci primeiro as letras e depois o som. Me apaixonei pelas letras. Quem me conhece sabe que eu adoro trocadilhos! rss (até os mais infames) E o Teatro Mágico o faz com uma leveza e facilidade que parece que eles sempre existiram. A música é singela. Nada parnasiano. Nada de palavras confusas, inversões ousadas e neologismos. Nada disso, é clean. Mas nem por isso é banal. Diz o que tem que dizer sem muita enrolação, e com muita critatividade! Afinal, quero ver alguém conseguir conseguir brincar tão bem com as palavras como eles e não cair no ridículo.

O Som..vish..me falta repertório pra opinar! Mas até que é legalzinho de ouvir!

Bom.. aí vai a música!

Cantem comigo: "Enquanto houver vc do outro lado...!"


"O dia mente a cor da noite
E o diamante a cor dos olhos
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"


Enquanto houver você do outro lado
Aqui do outro eu consigo me orientar
A cena repete a cena se inverte
enchendo a minha alma d'aquilo que outrora eu deixei
de acreditar
tua palavra, tua história
tua verdade fazendo escola
e tua ausência fazendo silêncio em todo lugar
metade de mim
agora é assim
de um lado a poesia o verbo a saudade
do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no
fim
e o fim é belo incerto... depende de como você vê
o novo, o credo, a fé que você deposita em você e só
Só enquanto eu respirar
Vou me lembrar de você"

(O Anjo Mais Velho, Teatro Mágico)

terça-feira, outubro 30, 2007

"Happy Birthday!!!!" Internacional! rsss


Há um tempo, eu costumava fazer homenagens nesse blog. Sempre que chegava aniversário de alguém, ou outra data comemorativa, eu ousava prestar a minha singela homenagem. Com o tempo, foi ficando repetitivo, afinal, algumas pessoas (graças a Deus) não saem das nossas vidas, e dizer o quão maravilhosas elas são várias vezes, acaba ficando redundante. Mas..hoje, tenho um bom motivo pra fazer isso novamente. Hoje é aniversário de uma amiga. E não uma amiga qualquer, uma amiga blogueira, que voltou a comentar aqui no blog, e que no momento está far far away... Por motivos que pra mim, já estão enterrados, ficamos por um tempo sem manter contato. Mas agora.. estamos nos esforçando pra que as coisas se encaixem novamente.
Enfim, Estou aqui pra falar dela.. Michele.
Mie. Escorpiana e São Paulina. A mais escorpiana que eu já conheci. A mais São paulina que eu já conheci. Porque tudo que ela acredita é assim..ao extremo!!! Um pessoa que exala emoções e sentimentos. E sente tudo a flor da pele. E vive com intesidade. Um misto de menina e mulher. Menina que chora e vibra com uma comédia romântica. Mulher que sabe que a vida é bem diferente da ficção. Menina que lê Harry Porter, Mulher que extrai lições dele. Menina que sonha, Mulher que luta e realiza. Menina que está sempre rindo, até mesmo das próprias desgraças. Mulher que é responsável, organizada e de caráter. Menina que veste minissaias.. e Mulher que encanta, seduz e sabe do seu valor. Menina que faz castelos no ar e acredita no amor verdadeiro. Mulher que vê as suas dificuldades e que o busca. Menina que xinga e fala o que vem a cabeça. Mulher que sabe reconhecer um erro, pedir desculpas e perdoar.
Foram muitas as afinidades que nos uniram.. a começar pela paixão pelas Letras, pelo IEL, pela Unicamp como a realização de um sonho e que atendeu a cada expectativa. Depois, pelo esforço que fizemos pra viver esse momento da melhor maneira possível..e na troca de experiências e vivências fomos nos unindo. Cumplicidade, confidências e uma amizade "balalaica".. Ora, são tantas coisas, não poderia acabar (vc não acha?)
Hoje.. ela está aí..nesse mundão, em busca de mais um sonho. Um sonho que eu acompanhei e torci pra que desse certo. E deu. E vai dar muito mais certo ainda. E é só o começo de muitos!!!

Agora.. mudo o interlocutor:

"Mi,

Hj é seu dia. E mais do que nunca, só posso desejar que esse novo ano que se inicia seja realmente novo. Que vc viva com toda intensidade. Aproveite cada instante. E que sonhe ainda mais. Sinta a vibração de todos aqueles que estão torcendo por vc!!! E saiba que vc pode estar aonde for.. seja aqui no capotuna, seja em DC, seja em Atibaia..em qquer lugar: vc nunca estará sozinha!!! Porque..pra estar perto é preciso estar do lado de dentro!
Saúde, paz, alegria, comédias românticas, gatinhos, minissaias, chocolates para tpm, sucesso e amor... e todas essas coisas que vc merece!!!

Feliz Aniversário!!!!!
e não se esquece: te amo!!


De.. a de sempre.. Sulis! "

quarta-feira, outubro 24, 2007

Sinceridade e liberdade de expressão favorecidas

Titulo: Vênus em Trígono com Marte natal
Resumo: Sinceridade e liberdade de expressão favorecidas


Texto: Este trânsito faz com que o indivíduo seja bastante sincero sobre o que pensa, e as pessoas não ficarão zangadas com isso, afinal você não usará palavras grosseiras ou vulgares.

A liberdade de expressão está totalmente favorecida, nada de policiamento de idéias por serem diferentes. Há espaço para todos no mundo. Você é um espírito livre com a sua própria maneira de pensar; e as pessoas são assim como você. Haverá uma aceitação mútua.

A paixão está acentuada neste período. Você está tão gentil, amável e preocupado com seu amor. Mesmo que seja um caso amoroso, este será delicado e as duas partes continuarão amigas. Não há subterfúgios ou dúvidas. Tudo será muito claro e prazeroso. Acabarão por descobrir uma grande amizade que os liga quando a paixão acabar. Sem ressentimentos.




ps.: Já confessei que o meu pior "gosto mas tenho vergonha" é horóscopo né? então..eu leio essas porcarias.. e sei lá porque, eu recebo por email desse site esse tal de trânsito aí..e..as vezes, é rir pra não chorar! fala sério!

domingo, outubro 21, 2007

"Porque gente rica adora ajudar criança pobre. Quem não gosta de ajudar criança pobre? "


Ontem eu assiti ao tão comentado e polêmico filme "Tropa de Elite". E já que falaram tanto sobre, acho que posso também tecer meu comentário.
Ao meu ver, o maior mérito do filme é escancarar a hipocrisia. A hipocrisia que existe em todos os segmentos da sociedade, e se existe uma mensagem, ela é bem clara, curta e grossa! - Não existem inocentes. Todos têm a sua parcela de culpa nessa cadeia.
Lembrei-me da teoria do caos, a qual conheço superficialmente, mas pelo que sei diz o seguinte: o leve bater asas de uma borboleta pode provocar um tufão. Ou seja..
Sim, seu fucking baseado está financiando o narcotráfico. Não queira se abster dessa culpa, porque aqui, meu amigo, não existem inocentes!
O policial é corrupto porque recebe um ridículo salário. ("Nada justifica caratér", vc poderia dizer, tá!? Mas pra mim, a partir do momento que o cidadão não é capaz de suprir suas necessidades básicas, fica difícil ter uma consciência política e social...) O traficante é traficante porque vive marginalizado, não tem acesso a educação, saúde e entre outras coisas. Novamente, lei da selva.. questão de sobrivivência. Pode não ser a única das alternativas, mas é uma delas. O policial do BOPE mata e tortura porque, embora ninguém assuma, é uma guerra - matar ou morrer. E você fuma seu baseado, cheira seu pó, toma seu doce porque é um grande babaca.
Não haveria problemas em ser um grande babaca se você apenas acabasse com a sua vida. Ou se você reconhecesse o seu papel nesse ciclo vicioso. Mas não.. e é aí o grande tapa na cara do filme: é fácil pregar a paz, a solidariedade e ao amor ao próximo de dentro das cadeiras da universidade, é fácil criticar o Sistema e o Estado e usar a sua bolsa FAPESP pra fumar maconha. É fácil criticar a burguesia e fingir que não faz parte dela só porque não come carne, ouve música alternativa e participa reuniões do ME, enquanto o seu pai trabalha pra te sustentar e a sociedade paga pra você ter um ensino superior de qualidade. É fácil se distanciar dessa realidade, filosofar sobre ela em meio "a vibe"., e se abster dessa culpa que também é sua. É fácil criticar a tortura quando não é você tem tem que arriscar a própria vida na favela.
Esse filme não está para ser julgado. Ele simplesmente fala a verdade. E com argumentos irrefutáveis, ao meu ver. Atinge a todos os segmentos da sociedade: a policia militar, o Bope, o morro, os políticos e os estudantes usuários.
Não tem lá o melhor elenco, (com exceção do charmosíssimo Wagner Moura), nem a melhor fotografia, mas tem um roteiro excelente! Um grande roteiro!! Que não se deixa levar pelo sensacionalismo barato e apelo emocional de muito sangue e pouca história, recorre a outros discursos e traz uma ironia fina que pode render até algumas risadas aos apreciadores do bom humor negro. Só não merece o Oscar, pq o Oscar também é uma grande hipocrisia.
E eu queria ver a cara dos intelectuais que defendem o cinema nacional e que se viram ali, totalmente sem máscaras.
Há uma discussão se o Cap. Nascimento seria ou não herói. Bem, herói no sentido romântico da palavra, obviamente, ele não é! Mas se pensarmos que heróis são pessoas que fizeram o que era possível ser feito, o personagem fictício iterpretado por Wagner Moura é sim um herói.


Quem quiser conferir um trechinho, vai aí um deles, que ao meu ver, é um dos melhores. Mas vale muito a pena ver o filme todo!

"- Quem matou ele? fala!!! (...) - Foi um de vcs!! - Não, foi vc seu maconheiro!"
http://www.youtube.com/watch?v=Q2aWW5N8p50

quinta-feira, outubro 18, 2007

tá rino?

Titulo: Vênus em Conjunção com Meio do Céu natal
Resumo: A felicidade estará transbordante


Texto: Nesta fase toda a sua atenção estará voltada para o amor. Dia perfeito para apaixonar-se ou mesmo casar. Você vai querer que o mundo todo saiba quanto está feliz, o quanto está apaixonado (vai parecer como nos filmes). (kkkkkkkkk)

Você está flutuando de felicidade e a sua última vontade será ir para o trabalho; porém se ele estiver relacionado com algo que precise de sua criatividade, a sua vontade surgirá.

Tudo o que disser respeito à coletividade estará favorável. Hoje não é dia para ficar em casa sentindo-se sozinho. Saia e encontrará muita satisfação. Seu humor estará melhor do que nunca. Poderá conhecer pessoas que serão importantes para os seus negócios, ou mesmo apenas desfrutar a companhia dos amigos. Estar junto com as pessoas será muito gratificante.

....

Definitivamente.. tá RINDO MUUUIIIITO da minha cara.. :p

domingo, outubro 14, 2007

Por quê?




"Onde já se viu o mar apaixonado por uma menina?
Quem já conseguiu dominar o amor?

Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa?
Porque a gente nunca sabe de quem vai gostar"


(Ana e o Mar, Teatro Mágico)



sexta-feira, outubro 12, 2007

Saudades da aurora da minha vida..


Durante a semana, organizamos uma festa de aniversário para uma das Divas. Pensando em uma festa temática, a sugestão, que de ato foi acatada, foi um 'revival' anos 80 - a idéia era elencar as 'melhores' fotos da nossa infância e fazer um grande cartão. Alguma dúvida de que foi, no mínimo engraçado???
Primeiro, mandei uma foto que eu já tinha scaneada aqui no computador, mas aí, resolvi fuçar os meus albuns de criança. Toda vez que eu pego aqueles álbuns, eu sinto cada vez mais distante aquela época. Cada vez faz mais tempo que tudo aquilo aconteceu..E não foi só eu quem mudei. O mundo mudou. As mesas com aquela coca cola de garrafa de vidro, os temas eram turma da mônica, tudo bem artesanal... nada muito hi tech como hj em dia. O som era de disco de vinil (!!!!), as meninas todas de franjão, os conjutos de camiseta e shorts de cóton, ou então, o falecido conjunto de moletom. Cores fortes, extravagantes, combinações.. bem, que seguiam sabe-se lá qual critério! rss
Lembrar da infância, essa infância que está cronologicamente mais distante, me trouxe nesse momento uma lembrança um pouco doída. Sabem como é, a nostalgia é boa, mas as vezes.. tb é doída. É doída quando vc olha pra infância e quer voltar. Quer ter suas bonecas de volta pra conversar, (ai.. como é difícil ficar 'grandinha' e não brincar mais de boneca..), é querer revistinhas de colorir.. olhar para o números e ver 'continhas' e não faturas. Assistir Power Rangers e não se importar com o fato do Mega Zord ser um boneco lego e os prédios do fundo de papelão. Esquecer do mundo vendo desenho animado. Não saber ver as horas, porque simplesmente não importa que horas são... ter como desafio aprender a amarrar o tênis, e como dever fazer bolinhas até acabar a linha do caderno.
Ser criança é não se preocupar com o mundo, porque tem quem se preocupe por vc.
Ser criança é acreditar que o mundo é a sua casa, e como todos que estão na sua casa te amam, vc acredita que o mundo te ama.
Ser criança é agir sem se preocupar , é falar por ter vontade, é viver sem amarras.
Feliz Dia da Criança.. porque Criança sim, é que é feliz todos os dias!

quinta-feira, outubro 11, 2007

os tais calculos..

Sabe quando a gente faz aniversário? As pessoas sempre desejam várias coisas, não é mesmo?
Tem sempre aquele kit aniversário: amor, paz, alegria, sucesso e... saúde!!!
Palavrinha que a gente só dá valor na hora que 'a porca torce o rabo'. Realmente, não há coisa melhor pra se desejar pra alguém do que saúde.. como é chato.. peraí, chato não! como é horrível ficar doente.. =/
Ao contrarios dos clássicos virginianos, eu não sou nem um pouco hipocondríaca. Eu odeio remédio. Odeio ir no médico. Odeio fazer exame. Vou enrolando enquanto for possível... e aí, qdo eu vejo, a coisa já tá feia. Acho que foi por isso que eu descobri que tinha miopia quando já tinha 1,25.
é.. agora, emagreci já um kilo em 2 dias, recusei a coxinha da cantina (!!!) , é 01h13 da manhã e eu acabo de descobrir que a bebida do inferno não é a agua tônica - é o buscopan líquido. (ou seria o buscopan com água tônica?) e sinto um mal estar tremendo.. e aquela sensação de que tem algo que não está nada bem aqui dentro..
aiiii.. próxima vez que me desejarem saúde eu vou agradecer muito e dizer: Amem!

terça-feira, outubro 02, 2007

Sintaxe À Vontade


O Teatro Mágico - Sintaxe À Vontade
Fernando Anitelli

"Sem horas e sem dores
Respeitável público pagão
Bem vindo ao teatro mágico!
sintaxe a vontade..."
 
Sem horas e sem dores
Respeitável público pagão
a partir de sempre
toda cura pertence a nós
toda resposta e dúvida
todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser
todo verbo é livre para ser direto ou indireto
nenhum predicado será prejudicado
nem tampouco a vírgula, nem a crase nem a frase e
ponto final!
afinal, a má gramática da vida nos põe entre pausas,
entre vírgulas
e estar entre vírgulas é aposto
e eu aposto o oposto que vou cativar a todos 
sendo apenas um sujeito simples
um sujeito e sua oração
sua pressa e sua prece
que a regência da paz sirva a todos nós... cegos ou
não
que enxerguemos o fato 
de termos acessórios para nossa oração
separados ou adjuntos, nominais ou não
façamos parte do contexto da crônica
e de todas as capas de edição especial
sejamos também o anúncio da contra-capa
mas ser a capa e ser contra-capa
é a beleza da contradição
é negar a si mesmo
e negar a si mesmo
é muitas vezes, encontrar-se com Deus
com o teu Deus
Sem horas e sem dores
Que nesse encontro que acontece agora
cada um possa se encontrar no outro
até porque...
 
tem horas que a gente se pergunta...
por que é que não se junta 
tudo numa coisa só?

sexta-feira, setembro 28, 2007

28 de setembro de 2007

Horóscopo de Hoje:

"A paz de espírito relaxa e descansa, mas seu melhor uso não é esse. A paz de espírito deve servir para você se atrever a embarcar em alguma nova aventura, dado que sem esta a vida perderia o valor e o sabor também."


Ao Londrina.. aí vou eu! haha

terça-feira, setembro 25, 2007

Under Pressure



Se um dia eu fosse sequestrada por extraterrestres, e estes, num ato de misericórdia, me concedessem o desejo de levar apenas 10 músicas para outro planeta, sem dúvida, a primeira da lista seria "Under Pressure" do Queen.


É claro que, com o tempo, eu acabaria enjoando de ouvir sempre a mesma coisa, e essas músicas, outrora preferidas, tornariam-se insuportáveis. Mas posso atestar que isso demoraria pra acontecer. Pois, eu posso ter ouvido quantas vezes for, toda vez que eu escuto aquele "toquinho inicial", a introdução de baixo tão "queen", eu já começo a me mexer e cantar junto. (ainda que desafinada e com alguns "enrolations").


No começo, o que me atria nessa música era só o ritmo. Depois, quando procurei saber o significados daquelas palavras tão ritmadas, fui gostando cada vez mais dessa música. Percebi que o ritmo ora acelerado, ora lento traduz exatamente o que se diz. E os picos agudos (e incomparáveis) do Fred Mercury acompanham o sentido da letra que é musicada, e sentimos justamente esse estado "sob pressão"!


E no final, muitas vezes, fica a questão: "Não podemos dar a nós mesmos mais uma chance? Por que não podemos dar ao amor mais uma chance?"


Por quê?


....


Ah.. e não se esqueça.. "this is our last dance"


É a nossa última dança.



É..acho que deu pra perceber que eu gosto mesmo dessa música não é mesmo? Talvez, se os tais et's pedissem pra que eu justificasse a minha escolha, a resposta estaria na ponta da língua. E eu tenho certeza, que quando eu ligasse o som, eles também começariam se remexer quando ouvissem o "tandaramram" inicial!









Queen - Under Pressure Mercury/bowie
Pressure pushing down on me
Pressing down on you no man ask for
Under pressure - that burns a building down
Splits a family in two
Puts people on streets
that's o.k.
It's the terror of knowing
What the world is about
Watching some good friends
Screaming 'Let me out'
Pray tomorrow - gets me higher
Pressure on people - people on streets
O.k.
Chippin' around
Kick my brains around the floor
These are the days it never rains but it pours
People on streets
People on streets
It's the terror of knowing
What this world is about
Watching some good friends
Screaming 'Let me out'
Pray tomorrow - gets me higher high high
Pressure on people - people on streets
Turned away from it all like a blind man
Sat on a fence but it don't work
Keep coming up with love
but it's so slashed and torn
Why - why - why ?
Love love love love love
Insanity laughs under pressure we're cracking
Can't we give ourselves one more chance
Why can't we give love that one more chance
Why can't we give love give love give love give love
give love give love give love give love give love
'Cause love's such an old fashioned word
And love dares you to care for
The people on the edge of the night
And loves dares you to change our way of
Caring about ourselves
This is our last dance
This is our last dance
This is ourselves
Under pressure
Under pressure
Pressure

domingo, setembro 16, 2007

(por hora, sem título)

Ultimamente, eu e um certo amigo sempre conflitamos idéias dentro de um determinado assunto. Ele, biólogo. Eu, bem.. "letrista", não gosto desse termo..tá, vou ser ousada: eu, analista do discurso. Pode ser que isso não represente nada, mas como (justamente) uma analista do discurso posso dizer que faz sim, e essa diferença se materializa, é claro, no discurso. Não é só isso que distancia nossos pontos de vista, mas também toda uma formação cultural, social e ideológica que ele insiste em descartar! rss
Explico-me: ele vê o "ser humano" como um dado empírico. Ele explica (e justifica) as ações desse ser dentro de suas constituição biológica. Vontades, desejos, tudo é natural, tudo faz parte do ser humano. Logo, não devemos reprimir ou nos contranger com coisas que nos são, cientificamente, naturais. A sociedade, as culturas, tudo isso não seria "natural" e funcionam como "claustros".
O que ele chama de "ser humano", eu prefiro chamar de Sujeito. Eu não consigo ver o ser humano fora do seu construto social. Eu não vejo ser humano sem cultura, eu não vejo o ser humano sem ideologia. Eu vejo Sujeitos. Quando chegamos ao nosso "meio", somos expostos aos mais diversos discursos: da religião, da família, da escola, dos professores, dos amigos, da mídia, da imprensa, da ciência..enfim, somos rodeados de todas esses discursos fundadores. Eles ficam lá.. no inconsciente.. e vão constituindo o sujeito, a sua formação discursiva, e, consequentemente, o seu discurso. Quando dizemos algo hoje, algo já foi dito em algum momento, e ao dizer, materializamos a nossa ideologia.
Ou seja, para mim, o ser humano se constrói apenas dentro do social, dentro das culturas, das ideologias que permeiam o seu discurso. É nesse meio que ele age, constrói, destrói, faz, sente.
E isso, não é, de jeito nenhum, ruim. Isso sim, pra mim, é o natural. É o Sujeito sobre todas essas influencias, é o Sujeito que se encontra a meio a todas essas informações e se torna autor. autor de suas ações, reações. Aí, o sujeito se reconhece como um construto social e como parte dele, e não prisioneiro do mesmo.
Minhas ações são resultados da minha formação. Reconheço a diferença, e percebo como é possível várias leituras para uma determinada situação. E assim, justifico meu "constangimento" e afirmo: ele não me incomoda e não quero mudá-lo. Não vou ser mais ou menos feliz por isso.
Freud diz que um dos problemas da humanidade é a busca pela felicidade plena. Estamos sempre nesse busca..que..será que existe? Podem criticar o meu pessimismo, mas se conseguissimos encarar, friamente, que esse fucking felicidade plena não existe, seria tudo bem mais simples. Não é preciso explicar, não é preciso justificar erros. Nem chegar ao extase, nirvana, whatever.. eu erro. eu penso. eu falho.
E vai ser sempre assim.

terça-feira, setembro 11, 2007

"Os homens que não me amam" por Nina Lemos.


Os homens que não me amam ficam constantemente doentes. Qualquer friagem que bate de lado é o suficiente para que eles não queiram me ver. Os homens que não me amam vivem cansados, deprimidos, desanimados. Eles são assim comigo porque não me amam. Eu também não os amo. Mas não fico gripada com qualquer vento que bate porque eu sempre acho que eu posso vir a amar alguém. Por cinco minutos que seja. Os homens que me amam, mesmo que passionalmente como amigos, me xingam. Eu amo quando os homens que me amam mandam eu me foder só porque eu faltarei a um encontro de almas em torno da mesa. Eles, que me amam, me xingam com passionalidade e podem até gritar comigo. Eu sei que é por amor. Os homens que não me amam devem estar preocupados com outra pessoa, e não comigo. Eu me preocupo um pouco com os homens que não me amam. Mas não sofro por eles. Me irrito. Ouço uma música. Escrevo um texto. E passa. A diferença é que eu respeito mesmo quando eu não amo. Mas deve ser porque eu sou mulher. Não é nada demais. É só falta de amor. Mas tudo bem. A fila anda. As coisas mudam. E nada como aprender a lidar com frustrações. Como isso é bom. E isso é meu. Ninguém tira. Ninguém tasca. Nina lemos.

domingo, setembro 02, 2007

Um lindo dia.


A que ponto chegou o mundo
Observando alguns bons amigos
Gritando "Deixem-me sair!"
Rezo para que o amanhã - me deixe mais animado
Pressão sobre as pessoas - pessoas nas ruas
Afastei-me disto tudo como um homem cego
Sentei num muro mas isso não funciona
Continuo fornecendo amor
mas ele está tão rachado e despedaçado
Porquê - Porquê - Porquê?
Amor, amor, amor, amor
A insanidade sorri, sob pressão estamos pirando
Não podemos dar a nós mesmos mais uma chance
Por quê não podemos dar ao amor mais uma chance
Por quê não podemos dar amor...
Dar amor, dar amor, dar amor, dar amor...
Pois o amor é uma palavra tão fora de moda
E o amor te desafia a se importar com
As pessoas no limite da noite,
E o amor desafia você a mudar nosso modo de
Nos preocupar com nós mesmos
Esta é nossa última dança

Under Pressure.....
(Queen)

Um sábado. Um email. Um estrada. Um pedágio no meio do caminho. Um lugar. Uma faixa. Umas tulipas. Um copo com gelo. Um chocolate. As pessoas. Um Abraço. Uma parceira de todos os momentos. Um bêbe. Um maravilha. Um ar de seriedade. Uma petite. Uma culiega parça. Uma belezinha. Uma Co-mu-ni-ca-cion. Uma redícula. Um mixelo. Uma Diva. Sete Divas. Uma cosita. Uma Loira Mixela. Uma Andrews. Um Xiagão. Um bixo. Uma sucesso. Duas siucessos. Uma surpresa. Um Bolo. Alguns drinks. Abraços. Lágrimas. Sorrisos. Cumplicidade. Sinceridade. Muita competência. Uma noite.. inesquecível!!!!

E uma palavra: MUITO OBRIGADA!!!


Sim.. nós podemos dar ao amor uma nova chance!
A qualquer forma de amor.

sexta-feira, agosto 31, 2007

Vinte e poucos anos..

Blog parado. Computador quebrado. Saco cheio.
Depois de um longo e tenebroso inverno, volto a escrever. Ainda com resquícios do inferno astral que me acompanhou nessa temporada do Sol em Leão, mas que está prestes a chegar ao fim.. um novo ano astral começa.
E como de costume, tenho que fazer meu post de aniversário.

Era setembro. O ano, 1986. A moeda era o cruzado. A ditadura chegava ao fim. O presidente era José Sarney. Estreava o programa Xou da Xuxa.Os garotos do New Kids On The Block lançaram seu primeiro álbum A Argentina ganhara a copa do Mundo. Morre Jorge Luis Borges. E eu nasci.
Desde então, passaram-se 21 anos..
Hoje já não sou mais aquela menina de cabelos loiros e cacheados que dançava a Lambada. Legião Urbana não existe mais e a Argentina não ganha mais a copa do mundo. E a Xuxa insiste em fazer programas infantis!
E..apesar das mudanças, o que somos nós, senão a nossa memória?

A memória. É lá que estão os fatos. Os acontecimentos. Aqueles inesquecíveis, como o presente esperado da infância. Aqueles dispensáveis..como.. aqueles dispensáveis. Aqueles dolorosos... porém, necessários. É lá que estão as imagens. As dores. As pessoas, os olhares, os sorrisos, as sensações... É através da memória que presentificamos o passado. É juntando os pedaços do que fomos, que contruímos o que somos.

Estou numa fase que me faz pensar muito no que sou, no que fui.. 21 anos, segundo alguns aparência de 23, 24..quatro pontos na carteira..(tinha um radar no meio do caminho...) alguns fios de cabelo branco, algumas desilusões, um diploma na ponta dos dedos (quatro ano de faculdade pra isso..). E agora, José? Um mundo de gente grande pela frente, e uma vontade enorme de jogar tudo pro alto, abrir um cheetos de queijo e passar um segunda feira inteira assistindo desenho animado.

Ainda bem, que em meio a esse mundo infinito chamado memória, existem algumas pessoas que estão tão presentes que são partes de mim. Assim como os dedos, os pés, o coração. E que nunca me fizeram sentir sozinha. Tamo junto, sempre, é nóis! rs

terça-feira, agosto 14, 2007

uou..

"Vênus e Saturno unidos ainda uma ultima vez antes que o planeta da experiência deixe Leão: isto é sinal de que você ainda tem uma chance de se libertar de culpas e remorsos, de amores passados, ilusões que precisam ser deixadas para trás. Agora é preciso criar um vazio, um espaço sem desejos."

(...)

domingo, agosto 12, 2007

Obrigada!


Pelo colo, pelos olhos, pela palavra, pela bronca, pelo castigo, pelo riso, pelo abraço, pelo nariz (?), pelo ar sossegado, pelos domingos de sol no clube, pelas conversas depois do jantar, pela compreensão, pela torcida, pelo orgulho, pelas lições de matemática, pelas lições de vida, pelas palavras, pelo silêncio, pela ausência, pelo exemplo, pelas danças, pelas piadas, pelas frases mais apropriadas, por me ensinar a viver o presente, a gostar de Queen. Por me entender mesmo sem entender. Por não perguntar. E por amar, sempre!!!
Do nosso jeito, a nossa maneira, nos amamos, muito!
E acho que esse foi o nosso melhor dia dos pais!!!
Pai, eu te amo!!

sexta-feira, agosto 10, 2007

Lendas


Esse post é especialmente dedicado a minha parceira, culiega, Kiers for fears..
E ela vai entender porquê...

Não sei bem o que anda acontecendo com o meu nível de sanidade mental, o fato é que ele não está lá muito alto.
Tentei buscar algumas explicações, mas.. como explicar o fato de uma pessoa abrir o guarda chuva dentro da balada ao som de Umbrella?
O que justifica alguém ver um cara vestido de batman no meio da festa e se juntar a ele para dançar???
Seria possível encontrar motivos pra você pegar o celular e ligar para as pessoas pela madrugada? ou pior, deixar o desconhecido pegar o seu celular e falar com a sua amiga??
enfim, dentro de um certo dialeto, essas atitudes são denominadas: lendas.
Ou, segundo outra definição, a explicação é simples - o mais legal de ir solteira ou sozinha na balada é poder pagar micos!
Pra mim, isso tudo se chama apenas: felicidade! :)
e um pouco de falta de noção tb... rsss


Antes que perguntem, sim, rola um alcool pra ajudar mas.. não vou usa-lo como refugio!
Sou insana, gosto de atitudes insanas..pq.. como diz Guimaraes Rosa: Aqui, ninguém é louco. Ou então, todos são.

domingo, agosto 05, 2007

I wait..


"Il faut bien que je supporte deux ou trois chenilles si je veux connaître les papillons"

(Saint-Exupery, Le petit Prince)

É preciso que eu suporte duas ou três lagartas se eu quiser conhecer as borboletas.

(...)

sexta-feira, agosto 03, 2007

Por falar em nostalgia..


"Em verdade, dezoito anos* depois, se mudaste muito, não mudaste nada. Pelo menos, quando distante de ti penso como és, vou somando imagens infinitas do mesmo rosto que se justapõe não ao que tens tido, mas ao que me habituei a tomar como primeia visão inicial: aquele rosto de quando tinhas duas semanas** e, brincando com o sol, riste ao segurar uns raios dele com a mão rechonchuda." (Carta a minha filha em prantos, José G. Vieira)"


*ps.: tá, eu sei que não tenho mais 18 anos
**eu tb não tenho duas semanas nessa foto..

E mesmo assim, não deixa de fazer sentido.
Isso é literatura!

quinta-feira, agosto 02, 2007

É um lindo dia!


"What you don't have you don't need it now
What you don't know you can feel it somehow..
What you don't have you don't need it now..
Don't need it now.. It was a beautiful day.."

(Beautiful day, U2)


Depois de longos dias de chuva, frio e de um certo ar melancólico, decidi que hoje traria um ar mais otimista para esse blog.
Sem nenhum motivo aparente, apenas por estar em paz. Depois de uma tarde com pipoca, coca cola e Dirty Dancing, acho que só poderia mesmo era trazer otimismo. As comédias românticas e outros filminhos do gênero costumam me irritar. Na hora, eu até gosto, afinal, são filmes que podemos perder as falas, nos distrair e não nos angustia porque o Happy ending é garatindo! Mas depois.. me cansa tanta alegria! como se tudo pudesse ser como nos filmes, dependendo apenas das nossas escolhas..
Porém, Dirty Dancing é uma excessão. Nunca me irritou. Sempre gostei! E todas as inúmeras vezes que assisti, quando acaba eu estou bem, feliz e sapateando pela casa "You're the one thing, I can't get enough of..So I'll tell you something, this could be love because now I've had the time of my life, no I never felt this way before! Yes I swear it's the truth and I owe it all to you.."
Além do mais, coincidentemente, esse filme me remete a uma fase da minha vida que foi muito boa!! Lembro-me dos meus dezessete anos, eu estava começando a ir pras baladas, e, diferente das meninas da minha idade, eu adoraaava flashback! Nossa balada favorita era a Jet set, justamente porque tinha um ambiente exclusivo para os flashbacks, acho que eu era a pessoa mais nova daquele lugar, e eu me divertia como se revivesse aquela época! Era 15 reais de consumação, nós íamos, tomavámos uma caipirinha e o restante ou virava pizza no final da noite, ou ia para o Carlos, que fazia o favor de nos levar de tiracolo pras baladas.
Naquele lugar, eu dancei, cai na pista, aprendi a tomar tequila, conheci gente de vários lugares, comemorei minha aprovação no vestibular, meus 18 anos, dei risadas, chorei no lounge, segurei choros. Putz..quantas histórias!!!
Sempre me achei madura.. mas hj, olhando pra trás, percebo quanta coisa mudou!!! E quanta coisa não mudou. Lembro de coisas que hoje não faria mais! E vejo outras, que continuo fazendo mesmo com todo o tempo que passou..
Já não escuto flashback como antes, mas ainda gosto. Já não tomo mais caipirinha na balada, aliás.. pouco vou às baladas. E se tenho que chorar, guardo as lágrimas pro travesseiro. Mas ainda tem em mim muito daquela menina que falsificava o Rg pra ir pra balada. E agora, perto dos meus 21 anos, bate aquela nostalgia.. mas uma nostalgia gostosa!!! De que valeu a pena, de que se eu pudesse voltar atrás, faria tudo do mesmo jeitinho!! E que, de fato, foi a melhor fase da minha vida!!!
Daqui uns anos, quero olhar pra trás de novo e ter essa sensação novamente. E quero ainda ver em algumas atitudes os traços daquela Sue Ellen "only seventeen, young and sweet", aquela que mesmo sabendo o final, torce pelo mocinho e pela mocinha, ainda que escondido, lá no fundo, sem que ninguém veja. Quero ver o mundo sem perder as minhas esperanças nas pessoas que conheço e gosto. Quero acreditar pra sempre, que o bem que fazemos aos outros é recompensado com atitudes e ações sinceras. Quero acreditar que não é possível eu me enganar tanto assim.. e que, ainda vou entender essas interrogações que rondam minha cabeça, afinal.. é um lindo dia! E..o que vc não sabe, você pode sentir de alguma maneira, não é mesmo?

sexta-feira, julho 27, 2007

Oooooo doooona!


Lembro- me ainda de quando aprendi a ler e escrever. Não com muita precisão, é claro, mas tenho bem nítida na memória aquela cena corriqueira: minha lousinha, o giz e algumas bonecas e ursinhos atentos às lições do dia. Com toda a didática e pedagogia de uma menina de 7 anos, eu tentei, mais tarde, ensinar meu irmão mais novo algumas letras.. mas ele não teve tanta paciência como os ursinhos de pelúcia.
Por muito tempo, essa foi a minha brincadeira preferida. E as cobaias foram muitas. Amiguinhas, mais bonecas e meu irmão tentou, mas não conseguiu escapar. Em todo caso, na falta deles, tinham meus alunos imaginários. Eu me divertia muito com a brincadeira, e por um bom tempo, a minha resposta para a clássica pergunta "o que vc vai ser quando crescer?" era pontual: professora.
Uma escolha não muito feliz para uma cidadã de um país de terceiro mundo fruto do mundo moderno repleto de profissões fashion.
O mundo real assuta. E os olhares reprovadores diante dessa escolha, fizeram eu deixar a idéia para segundo plano, e decidi então, que seria jornalista: muito mais bonito, interessante e, teoricamente, traria dinheiro.
Eu e mais 80% das pessoas da minha idade tiveram essa brilhante idéia. Resultado: carreira mais concorrida nos vestibulares de 2003... Ironia? Não sei, talvez seja aquilo que Freud chama de denegação.. e meu "destino" passa a se cumprir timidamente em fevereiro de 2004: quando eu me dei conta, estava entrando no universo da licenciatura novamente. A paixão pela literatura e pela gramática (sim, eu gostava de gramática..mas não se preocupem, já me libertei desse mal) me levou para o caminho da sala de aula novamente.
Bom, o que eu posso dizer? Sim, eu sabia desde sempre. Minhas bonecas também sabiam, era pra isso que eu havia nascido, pra ensinar.
Eu sabia que não era fácil. Ninguém me disse que seria fácil, e tem horas que eu definitivamente tenho vontade de desistir.
Mas, sinceramente? é impagável acompanhar o aprendizado. Por menor que ele seja. É gratificante vc ver o reconhecimento, nem que seja por recados do orkut. É delicioso observar os olhares atentos, e até os desatentos, que se voltam diante da repreensão. É divertido vê-los cantar a música nova que aprenderam.
Dizem que só damos valor ao que temos quando perdemos. O que mais me irrita nos clichês, é que eles estão certos.
E quando eu vi uma pequena me perguntar: Ai dona, vc gosta que eu te chame de prof? e pensei: não sou mais a prof. dela.. me bateu uma tristeza que eu achei que não fosse sentir.
E então, penso que não preciso de status. Nem de jalecos. Nem de Dr. na frente do meu nome.
Sou professora. Nasci professora. Por sorte ou azar. O fato é que o sou. Sou Dona, ou do que preferir chamar. E serei feliz enquanto puder ensinar.

quinta-feira, julho 26, 2007

E agora, José?


E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio - e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse...
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, para onde?

quarta-feira, julho 25, 2007

Estranho



Já faz um tempo, eu queria ter postado essa música.
Procurei até uma imagem bonitinha.
Aí desisti.
Já estava aqui. Salvo no rascunho, e eu desisti.
Tive receio.
Achei piegas.
Mas, poxa, esse blog é ou num é meu?
faço o que eu bem entender..rss
Apaguei o rascunho.
Mas não consegui apagar. Se é que me entendem..
Mas já que ela ainda está aqui.
Aí vai..

Nando Reis - All Star

Estranho seria se eu não me apaixonasse por você
O sal viria doce para os novos lábios
Colombo procurou as Índias mas a Terra avistou em
você
O som que eu ouço são as gírias do seu vocabulário

Estranho é gostar tanto do seu All Star azul
Estranho é pensar que o bairro das Laranjeiras,
Satisfeito, sorri quando chego ali e entro no elevador
aperto o 12 que é o seu andar
não vejo a hora de te reencontrar
e continuar aquela conversa que não terminamos ontem, ficou pra hoje.


Estranho mas já me sinto como um velho amigo seu
Seu All star azul combina com o meu, preto, de cano
alto
Se o homem já pisou na Lua, como eu ainda não tenho
seu endereço
O tom que eu canto as minhas músicas para a tua voz
parece exato

Estranho é gostar tanto do seu All Star azul
Estranho é pensar que o bairro das Laranjeiras,
Satisfeito, sorri quando chego ali e entro no elevador
aperto o 12 que é o seu andar
não vejo a hora de te reencontrar
e continuar aquela conversa que não terminamos ontem, ficou pra hoje.

terça-feira, julho 24, 2007

Chuva

Chuva, chuva, chuva...
Segunda feira..última segunda feira de férias.
CHUVA...
na televisão, jogos panamericanos..
Brasil x Cuba..
todos os jogos são Brasil x Cuba..voley, basquete, handball, tudo!! e é sempre A rivalidade.
Chuva...
Finalmente consegui pintar as unhas. Como eu chamaria essa cor? No esmalte tá escrito cyber, não faço idéia do porquê, mas é um tom de vermelho.. ficou bonito até.. mas já estragou.
Chuva...
Olho pra minha estante.. muitos diários de classe. Fiap's. Mensário.
Chuva...
Um pensamento "Dia 25 volta tudo.." Uma notícia. Só na quinta feira.
Mais um dia de chuva...
A correspondência molhada: uma multa.
Que ótimo...velocidade mínima permitida: 70 km, minha velocidade, 78 km/h.
Não, eu não estava a 150 km/h pondo em riso a minha vida e nem a de crianças inocentes, era apenas SETENTA E OITO.
Chuva....
Saiu a integralização curricular: ufa. Tudo certo, mais um semestre vindo aí.. o oitavo..caramba!!
Ainda me lembro quando eu tinha dezessete anos e estava no primeiro semestre..qta coisa mudou de lá pra cá..
E a chuva não pára...
Precisava ir no banco. Chuva. Queria cortar o cabelo. Chuva.
A vida passando..
e chuva e mais chuva.
Esse tempo melancólico me deprime.
"Eita vida besta, Meu Deus."
e agora eu vou encerrar por aqui porque ouço trovões, relâmpagos e chuva.

domingo, julho 22, 2007

Tudo passa..

Domingo, 22h51m..
Um belo domingo.. passeio com amigas, algumas comprinhas, um choppinho durante a tarde..
Uma bela tarde de sol em pleno inverno, com direito a um vento refrescante.. pq ser feliz, despenteia! hehehehe
Agora to aqui.. no msn..
Olho as frases pessoais das pessoas e fico pensando na vida delas, no que elas sentem, no que estão pensando!
A grande maioria contente com a morte do ACM..
Tá aí mais uma coisa que eu não achei que fosse viver pra ver...
Outras ouvem música..
Outras mandam recados para os amigos..
A de um amigo é uma frase que eu usei muito: "um dia vc aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam."
Ironicamente, já tive esse pensamento com relação a ele..
o mundo dá voltas não é mesmo?
Cada frase esconde uma história..
As minhas, pelo menos, sim.
Ainda no msn...
E, em meio a uma conversa, disse a uma amiga: Não há sofrimento que não passe.
Então eu me perguntei: eu sabia disso o tempo todo??? Quantas vezes damos conselhos que se encaixam perfeitamente na nossa vida, não é mesmo?
Irritamos-nos com os conselhos porque eles dizem aquilo que a gente já sabe, mas não queremos acreditar. Estamos sempre achando que podemos estar enganados, mas não estamos. E insistimos. E os conselhos ficam lá, martelando.. e você só se dá conta de que devia ter os ouvido, quando quebra a cara. E aí entra a minha parte: Não há sofrimento que não passe.
O que eu queria perguntar é: será que vale a pena, deixar de viver a experiência ante a previsão de um conselho??
O que é melhor, sentir na pele cada sensação, cada tombo, ou evitar aquilo que já é previsto?
Bem..posso parecer masoquista. Mas prefiro ir até o fim. Sempre.
Isso não significa que eu não goste de conselhos, eu gosto! Mas o vejo por outra perspectiva..vejo os conselhos como uma manifestação de carinho: aqueles que gostam de mim, não querem me ver sofrer, e tentam evitar isso. E assim, com todos os conselhos em mente, dou minhas cabeçadas totalmente consciente.. é praticamente uma operação kamikaze.
O que me encoraja, sempre é saber que tudo passa..
"Tudo passa, e vai passar...
A dor do parto. A cólica do neném. O mau-humor do adolescente. A época da chuva. O cansaço. A fama. Essa lua cheia. O próximo eclipse. O estado de paixão. A falta de paciência. A saudade. A tarefa chata. A melhor parte do livro. O gosto do beijo. O problema insolúvel. A tendência da moda. O medo da separação.
O tempo de espera. O estranhamento com o novo. A vaidade com o prêmio. A falta de dinheiro. O frio na barriga. A causa da briga. O viço da pele. A crise de depressão. A graça da piada. O luto. O tesão. O tempo de escola. O período de provas. A bronca do chefe. Os preparativos para a viagem. A festa tão programada. A ressaca. O motivo da comemoração. A mágoa. O sono. A TPM. A moda de blogs, fotologs e afins. O dia de hoje. Todas as vidas."


sexta-feira, julho 20, 2007

É tudo bem melhor quando estamos juntos..


Ora...ora... hj é dia do amigo!
Sou boa para lembrar datas..mas essa, ironicamente, eu sempre esqueço!
Sabe como é, essas datas são, geralmente, comerciais.. mas todos nós sabemos que nunca é tarde para falar de amigos. Toda hora é hora. E eu, sinceramente, não sei o que seria de mim sem eles.
Não sei o que seria de mim sem os abraços de urso da Helô. Nem das nossas longas conversar sobre tudo e todos e tal.
Não sei que seria das minhas baladas sem a alegria e a 'vibe' contagiante da Kistriane. Não sei o que seria dos meus netos sem as muitas histórias que temos juntas pra contar.
Não sei o que seria dos meus dias de bode sem as Alinisses que tanto me fazem rir. Não sei o que seria dessa minha cabeça racional sem a paixão que ela me passa e a fé que ela tem na vida e nas pessoas e em tudo.
Não sei o que seria do meu estilo sem a Diva Stelinha. Não sei o que seria dos passeios no shopping, nem os trabalhos de TL sem as nossas longas conversas a fio..
Não sei o que seria da minha rotina unicampeira sem a parça Xulyandrews..alguém que eu entendo como se fosse a mim mesma..já que nos parecemos tanto! O que seria de mim sem a sua companhia pra dançar calypso, fazer clown entre outras enrascadas que a gente se mete pela unicamp.
Não sei o que seria dos nossos papos cabeça sem os comentários inuisitados da Judícula. O que seria das nossas rodas de estudo sem as suas sacadas geniais.
O que seria dos meus sábados e domingos ociosos sem a minha parça e true friend Ju, como eu faria tantas gordisses, assistiria a tantos filmes ruins sem a sua companhia.Companheira de alegria, de bode, de ócio, de balada, de tudo!
O que seria das minhas férias sem a espera por aquela amiga lá do NO do Paraná, a Pir, aquela que adora uma boa cerveja, uma boa balada e que sempre tem uma história inusitada pra contar, e que sabe dar um colo como ninguém!
O seria do meu msn sem o fucking John lá todos os dias. Falando de nada, ou filosofando, ou enchendo o saco um do outro..O que seria dos meus filmes sem ele falando o tempo todo! O que seria dos meus bodes sem ele pra me dizer: fica tranquila!
O que seria dos churras na praça sem as lendas do Ciro, sem os comentários sutis e as paiçadas master e barrota! O que seria dos programas aparentemente miados, mas que ele transforma em diversão.
O que seria dos meus feriados sem o nosso amigo lesado David, sem as suas trapaiada.. seu olhar semi atento a qquer história e suas frases quase lógicas.
E o que seria de mim sem ver essa galera toda junta causando, com suas explicações cabulosas pra tudo e sem as bebedeiras que sempre rendem boas risadas.
O que seria da minha história sem aqueles que já passaram por ela, deixaram sua marca, e construiram junto comigo de alguma forma, e hj seguem seu caminho.
O que seria de mim sem todas as pessoas que fazem parte da minha memória.
Não sei como seria minha vida sem vcs, mas sem dúvida, seria muito mais sem graça, com bem menos risadas, bem mais difícil e amarga.
Pq se tem algo que me faz sorrir até nos dias de chuva, é olhar a minha volta e ver essa gente toda, as vezes faltam alguns, mas estão sempre aqui.. nos meus melhores pensamentos.
Pq são essas pessoas que fazem parte do meu mundo, e que nunca, nunca mesmo, vão me deixar. Pq fazem parte de mim. Ainda que um dia a gente se separe. Mesmo que algum dia eu os decepcione ou eles me decepcionem, não interessa, vcs já fazem parte de mim..
E eu os amo pra caralho!!!
Feliz Dia do Amigo pra vcs, e Obrigada por fazer parte da minha vida!

quinta-feira, julho 19, 2007

Have you ever been down?

"Cause it's a bittersweet symphony,
this life
Try to make ends meet
You're a slave to money then you die
I'll take you down the only road I've ever been down
You know the one that takes you to the places where all the veins meet yeah,

No change, I can change
I can change, I can change
But I'm here in my mold
I am here in my mold
But I'm a million different people from one day to the next
I can't change my mold
No, no, no, no, no"

(The Verve, Bittersweet Symphony)


Ontem eu ouvi muito essa música. Muito. Nem sei quantas vezes.

O refrão fica na nossa cabeça.. quando vc vê, inconscientemente, está cantando: I can change ..I can change.. I can't change my mold no no no ..

Com alguma razão lógica ou não, eu comecei a pensar nessa questão. Até que ponto estamos dispostos a mudar nossos moldes? Até que ponto queremos mudar nos moldes? até que ponto precisamos mudar nossos moldes?
Bom.. nessa minha humilde vida de 20 e poucos anos, acho que uma das frases que eu mais ouvi até hoje é "eu sou mais eu", "Não vou mudar pra te agradar", "sou verdadeiro" e tudo e tal.. Ou seja, sempre ouvi as pessoas tentando buscar uma única definição do que elas são. Como se elas fossem únicas, imutáveis. Como se elas nascessem como uma única essência, e todos os anos de vida e experiência não pudessem mudar isso.
E alguém pode ler isso agora e pensar: e não é?
Pois bem.. e eu digo que não.
Acredito que temos um carater, temos algumas características que podem até não mudar, mas cada vez vejo que nossas atitudes e ações variam sempre conforme a necessidade e a conveniência. E isso não é necessariamente ruim. O que eu quero dizer é que vemos a realidade como queremos, e não como ela é. Simplesmente porque não existe uma única realidade, cada pessoa constroe a sua.
Num determinado momento uma pessoa pode parecer má - ela é falsa, é cínica, é vadia. Enfim, tem todos os defeitos que vc quer que ela tenha, e num passe de mágica, vc descobre que estava enganada. Não, vc nunca esteve enganada. Vc simplesmente construiu uma imagem e a legitimou.
É isso que fazemos com nós mesmos. Somos o que queremos. Construímos uma imagem de nós, fazemos de tudo pra legitimá-la, e acreditamos nela. O problema maior é não aceitarmos que essa imagem pode mudar, se vc quiser e aceitar. Na recusa desse fato, vemos as contradições, as "falhas".. e vemos que há momentos, em que as pessoas lutam pra ser algo que nem elas acreditam mais que exista.
Ilusão achar que não temos falhas, ilusão acreditar que somos melhores ou piores que alguém segundo tais ou quais critérios. Ilusão acreditar que somos dignos de méritos, ou que somos o melhor que as pessoas podem ter. Tudo ilusão, so sorry..
E a vida é bem menos frustrante e decepcionante quando paramos de culpar os outros por aquilo que só nós somos responsáveis. Quando pararmos de culpar os outros pelas nossas falsas ilusões, passamos a ver que erramos também, e então, fica mais fácil entender e aceitar o erro do outro. Nunca sabemos quando vamos precisar de compreensão. Ser flexível é fundamental para o equilíbrio, e como disse Clarice (sempre, Clarice)
até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.



quarta-feira, julho 18, 2007

E aí?

"E como saber se é o amor certo, o único? Tanto é o poder errar, nos enganos da vida...Será que você seria capaz de esquecer de mim, e assim mesmo, depois e depois, sem saber, sem querer, continuar gostando? Como é que a gente sabe?" (Guimarães Rosa)


(...)

segunda-feira, julho 16, 2007

Melancolia..

"Posso ouvir o vento passar,
assistir à onda bater,
mas o estrago que faz,
a vida é curta pra ver..."

(O Vento, Los Hermanos)





Hoje amanheceu chovendo.
Há tempos não chovia.
Acordei, ouvi o barulho da chuva, senti uma leve pontadinha na cabeça e dormi de novo.
Ai.. férias!!!
férias com um dia de chuva.... o dia todo de pijama, me dedicando ao ócio improdutivo.
Um cenário aparentemente mente monótono que mascara um turbilhão de pensamentos que se movimentam sem parar dentro da minha cabeça.
Perguntas, sem respostas, lembranças que vão e voltam, cada vez um novo detalhe, uma nova hipotese, um novo olhar.. mais dúvidas, mais questões e poucas atitudes. Que atitudes?
De fato.. não estou na minha fase mais lúcida! rss ou mais tranquila..
sei lá..estranho..
Ao mesmo tempo em que está tudo bem, tudo dando certo, tem algo que me incomoda.
E nem adianta eu dizer que não sei o que é pq eu sei sim.
Só não sei o que fazer para que pare de incomodar.
Ou talvez eu não queira fazer o que eu acho que devo fazer. (?)
conflitos.. quem não os tem?
Desde uma dúvida entre um shampoo para cabelos mistos ou normal, ou se fazemos a prestação em 5x sem juros ou 8x sem entrada.. ou se devemos seguir a vontade do momento ou pensar nas convenções. Se todos os conflitos fossem de ordem prática, tudo seria mais fácil, e eu diria até que então não tenho conflitos.
Mas como disse minha grande amiga e parça, Pir, tem coisas que ultrapassam a nossa compreensão. Ou, mais poéticamente, à la Clarice Lispector, "não se preocuper em entender, viver ultrapassa todo entendimento"

Ela só não disse como fazer pra não se preocupar, não entender.

C'est la vie...
Eu só queria ter a certeza de que nada foi vão.
De que existe um propósito maior.
De que não estou fazendo tudo errado de novo.
E que a vida não é um simples ciclo vicioso e irônico.
É muito?

blé.. acho que a chuva me trouxe um ar melancólico..





































domingo, julho 15, 2007

ERRO

Ps.:

Post meramente informativo:

Seguinte,

o último post, na verdade, é o penúltimo! sei lá o que aconteceu com o blogspot que ele inverteu as paradas aí..

ou eu inverti, sei lá..

terça-feira, julho 10, 2007

(...)

Tempos difíceis..
Há tempos não me sentia assim.. como eu poderia dizer..
e-s-g-o-t-a-d-a...

Não é cansada.. não é com preguiça, ou fadiga..
é esgotada.
Sabe quando esgotam os ingressos? sabe quando esgotam as opções?
Sabe quando esgota o dinheiro na conta?
Pois é, é assim que eu me sinto..
Acabou-se as vontades, as forças, a motivação, o folego, a animação, os desejos..tudo!!!
E, como já dizia a canção, "até mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma, a vida não pára.."
Não pára, véi..
pelo contrário, parece que acelera o ritmo, urge por respostas, atitudes, ações!!!
Tudo que vc quer é parar e observar a vida passar - não pensar em nada e nem ninguém, não se preocupar com olhares e cobranças, não teorizar, hipotetizar, nem criar.. apenas sentir, sentir o vento pelo seus fios de cabelo, sentir o calor do sol junto a pele, sentir a vida que corre na terra.. sentir a vida de fato, não apenas passar por ela, sem compreender nada! Nem as pessoas, nem as ações e, o que é pior, nem a si mesmo.
Sintia-me assim. Como se cada hora do meu dia fosse em função de obrigações e vontades alheias. Quando tudo o que eu queria era ficar só comigo. Por alguns minutos pelo menos, pensar em mim. É assim, bem egoísta mesmo, só pensar no que eu quero, nas minhas vontades, no que eu gostaria. As vezes, eu penso que isso nem existe...
E quando eu estava totalmente esgotada.. libertei ainda as últimas coisas que restavam.
Com ajuda de fatores "extrínsecos" lá se foram algumas lágrimas, e junto com elas, muitas coisas que eu nem sei como chamar.
E nesses momentos de fraquezas, que eu sinto como me custa ser como sou.
Como dói ver a realidade e os fatos como eles são.
E agora nem sei como terminar esse post..
assim como não sei "terminar" muitas coisas..
talvez esse seja meu erro.. apenas começar, e deixar que sei lá quem se encarregue do resto.
E fico então com aquela sensação morna, de quase, de se..
e....
esgotaram-se as palavras tb.
Até a próxima!

sábado, julho 07, 2007

Tout est bien.. quand finit bien..

Mais um fim de semana.. que palavra doce..FIM DE SEMANA...
E junto com o fim de semana veio outros "fim's"
Fim do período letivo.. Nem acredito, acabou! Alguns dias sem precisar acordar as 6h, alguns dias sem ouvir 876543367 "Oh, dona" no dia! hehe mas que no fundo, eu adoro! =] , adoro mas é sempre bom sentir um pouco de saudade né?? e a "dona" aqui tá precisando de um descanso!!
Fim do curso de Francês.. 9,0 na prova..ufa!!!..essa abordagem comunicativa engana a gente..a gente nunca sabe se vai dar certo ou não, acostumada com os exercícios de preencher lacuna, fiquei insegura diante dos textos! hehe mas deu certo.. C'est finit!
Fim do curso com os estrangeiros... e, sabe, pra alguma coisa serviu perder todo meu colágeno fazendo aquele fucking diário reflexivo, no fim.. eu percebi que a verdadeira aluna fui eu!! eu aprendi muito mais com os estrangeiros, do que eles comigo! Só sei que não quero ouvir por um bom tempo mais as palavras "abordagem", "planejamento", "ensino-aprendizagem" e o raio que o parta!
Fim das palestras blá,blá,blá de sexta feira!!
Fim do trabalho HARD e... tudo certo na prova, mais um pouco, eu iria entrar em crise de representação!
E então..

FÉRIAS!!!!!

E que venham os filmes na segunda noite, as cervejas na em plena quarta feira, baladas de quinta, domingos com conversas até a madrugada, baticuns, passeios, sessão da tarde, novela das seis, caminhada no Parque, e mais tudo que puder acontecer!!!!

vamo que vamo!!!

segunda-feira, julho 02, 2007

Mais coincidência???


A Mulher de Virgem

Não pense na mulher de Virgem como a Amélia dedicada ao lar e aos filhos, mantendo o chão encerado e os armários em ordem. Esta não é a verdadeira essência deste signo. A mulher de Virgem mantém a si própria livre, dentro da relação, através de seu intelecto. Ela tem opinião própria, pesquisa e lê para 'saber', e em seus relacionamentos ela estará sempre pronta a analisar e a falar sobre tudo, suas ações, sua casa, seus filhos... menos sobre seus próprios sentimentos. Normalmente, no seu impulso a se tornar útil, a mulher de Virgem se dedica a uma carreira, e é uma excelente psicóloga, médica, enfermeira, nutricionista, pedagoga, professora e analista. Desta forma ela não terá o casamento como prioridade e poderá casar mais tarde, ou não casar (?), ou mesmo fazer um casamento de razão (???).

As vezes a mulher do signo de Virgem é realmente estéril (especialmente se tiver a Lua em Virgem ou em mau aspecto com Saturno), e as suas crianças serão os seus alunos. Eu tenho por mim que o signo de Virgem é estéril porque o nascimento é 'sujo'. Mas esta é uma opinião pessoal. De fato seja o ato sexual que o nascimento, se acontece de uma forma onde a pessoa fica exposta, onde as emoções e os sentimentos ficam expostos, e não podem ser explicados racionalmente. A psique da Virginiana, apesar de ser ligada ao Mito da Grande Mãe, está representada pela Deusa Artemis, virgem, autosuficiente. O trigo que ela traz em seu colo, é usado para alimentar o mundo. Ela não precisou do sêmen. Seu negócio não é 'dar o seio' como acontece com a Mãe Câncer. Seu negócio não é 'gerar filhos' mas 'gerar idéias'. Uma das suas qualidades é a discrição e a reserva. Ela irá preservar sempre um pouco de si e não se entregará inteiramente numa relação sentimental. Porém ela é realista e, se ela assim tiver decidido, o amará como você for. O mais importante é fazê-la sentir que ela é necessária em sua vida.

Virgem e o Amor

Se nós pensarmos no virginiano como ele é usualmente descrito nos livros de astrologia, pensaremos nele como uma pessoa que tem um manual ao lado da cama onde irá buscar o conhecimento adequado para desempenhar bem sua função durante o ato sexual. Exagero? Nem tanto! Ele realmente precisa das instruções para se sentir bem. Mas o amor e os sentimentos não tem etiquetas explicativas, e muito menos os seres humanos vêm com elas amarradas no pescoço! E por isso os virginianos se perdem e muitas vezes têm dificuldades em seus relacionamentos. Na realidade, a mulher de virgem analisa seus próprios sentimentos, e os vê como sendo monstros incontroláveis, e tenta mantê-los sob controle, dissimulando a afetividade e mantendo-se fria e controlada. Mesmo quando ela quer transar todos os dias, não o dirá, mantendo a relação controlada, um dia sim e um dia não, porque é mais saudável. O virginiano não é frio, ele simplesmente leva muito tempo para esquentar. A paixão não faz parte de seu vocabulário. E a mulher de Virgem não se entrega ao primeiro machão que a olha. E o homem de virgem não se entrega à primeira carinha bonita que o seduz. Ambos analisam longamente a situação, racionalizam, e tentam saber se você se identifica com as mesmas coisas do que eles. Emoção e sexualidade não são suficientes para prender o virginiano. Para eles precisa haver um encontro de mentes.

Coincidência?

Já confessei aqui certa vez que um dos meu pontos fracos é horóscopo.
Se eu fosse fazer uma lista de "eu gosto mas tenho vergonha" este estaria entre os primeiros colocados.. fazer o que? ninguém é perfeito, né não?

e aí, despretensiosamente, passeando pela internet.. eis o que vejo:


Virgem
de 22/08 a 21/09

Planeta:
Mercúrio

Elemento:
Terra
de 2 a 8 de julho de 2007
Alguns virginianos andam tão irritados ultimamente que nem se reconhecem mais! Eles que são naturalmente tão ponderados perdem facilmente as estribeiras assim que percebem que sua vida sai do controle. A retrogradação de seu planeta regente, Mercúrio, não os está ajudando em nada. Por essa razão aconselho muita cautela com sua rotina dessa semana, ainda mais que o estresse predispõe as pessoas a adoecer. Como neste período você não conseguirá resolver muita coisa de sua vida, aconselho os virginianos a ´tirar férias´! Mesmo aqueles que não podem viajar, podem tirar o pé do acelerador e procurar distrações e passeios que proporcionam contato com a natureza.


Coincidência???
Talvez sim..
talvez não..
'a veiz', é so fruto do acaso! ;)

domingo, julho 01, 2007

"Por essa maldita mania de viver no outono."


Faz tempo que não escrevo.. o último post é do dia 18 de junho. E nem fui eu que escrevi o texto..tsc tsc
É que muita coisa aconteceu nesse meio tempo..
a greve acabou, mas não acabou, mas acabou..e o resultado? bem..o que já era previsto..
Por alguns instantes, eu até cheguei acreditar no movimento.. mas, quando a greve dos docentes acabou após o mísero aumento, essa esperança se espatifou.. doce ingenuidade!!..
Ao contrário do que pensam muitos, a greve não foi de sinônimo de férias. E olha que eu nem dormi na sala da reitoria (um pena, adoraria colocar uma foto desse fato no meu orkut pra que todos pensem que eu sou militante - ironia, ironia..)
"Política" a parte, só tenho uma coisa a dizer... "Que semana..."
Uma semana que parecia que não ia acabar mais..
Horas que pareciam não acabar e ao mesmo tempo correr sem parar..
Olhar para uma folha com várias letras, várias palavras, e simplesmente não entender nada..
não, não era língua estrangeira..era "bom" português mesmo. Bizarro, né? Pois é, escrevi, divaguei, enrolei..enchi linguiça.. acho que em toda minha vida acadêmica nunca tive essa sensação..e, nem foi legal viu..
Depois..prova de francês V..uau..quase dois anos e meio estudando, coloca o cd aí..compreensão oral!! hum.. mais uma vez, s'il vous plaît.. éé..ahm.. mais uma? outra..? ah.. desencana...
Tem momentos em que eu me sinto um lixo. Um lixo de aluna. Um lixo de professora. Um lixo de filha, um lixo de irmã, um lixo de amiga... um lixo! e nessas horas, dá vontade de dormir pra sempre, até passar. Dormir, dormir e dormir.... e só acordar quando tiver certeza que tudo acabou. Mas não acaba. Porque fugir não adianta.
E então, a gente continua.. acorda, levanta, e continua com alguns erros..por quê?
Por que parece tão difícil acertar? Por que é tão difícil mudar alguns hábitos que parecem enraizados? Por que me vejo impotente? Sem ação?
Como disse Pagu, "É difícil dizer o porquê das coisas. Muito mais difícil saber o porquê das coisas."
By the way..

"O aproveitamento da experiência se realiza espontaneamente, sem necessidade de dogmatização."(Paixão Pagu: a autobiografia precoce de Patrícia Galvão)


Acho que não preciso nem perguntar mais nada né? Sem porquês.



Aos amigos: Don't worry.. vcs sabem né? (e eu tb sei) é fase, vai passar..
mas o bode é necessário..
(ainda mais na tpm!)

Férias..como te quero!!!


segunda-feira, junho 18, 2007

Repassando...

Eu sou da teoria de que textos bons devem ser repassados. É claro que devemos atribuir-lhes a devida autoria, afinal, não é justo com o pobre autor.. o "pobre" já perde o direito a última réplica, que pelo menos ele receba o mérito devido!
Esse texto foi lido no blog de um colega de IEL, o Alê.. e, eu gostei tanto! :)
Me identifiquei muito.. e acho que todo mundo que tem blogs, ou lê blogs vai se identificar... ou mesmo quem não escreve.. acho que todo mundo já teve essa sensação!
Enfim.. copiei o texto desse site: http://maisumapalavraqualquer.blogspot.com/, caso queiram conferir e tb visitar esse blog.. afinal, esse cara manda bem nos textos! hehe

Chega de enrolação.. aí vai:

"Guardei o e-mail no rascunho

Primeiro que nem sabia ligar o computador. Abandonei a idéia de digitar a minha carta de amor e enviá-la por e-mail. A intenção é que fosse anônima, mas para isso deveria criar uma conta alternativa; se já me era difícil saber quais e quantos aparelhos eu deveria ligar para fazer o computador funcionar, imagina criar um 'endereço eletrônico'...
A carta parecia-me bem escrita. A letra bela, mesmo tendo a folha de fichário branco como substrato. O conteúdo era elogioso, e elogiava de forma clara, objetiva; sem apelar para um sentimentalismo caduco ou romântico. Não era extensa; talvez, penso eu, o suficiente para provocar uma leitura ansiosa, leve – furiosa, breve.
No entanto, se as dúvidas e receios não me assaltaram no momento da escrita, tomaram-me agora, à gola, sufocando-me enquanto pensava o meio mais eficaz de fazê-la chegar à mão da destinatária.
Carta impressa, fonte "Times New Roman", tamanho 12? E onde apareceriam meus traços de personalidade? Meus ex-quase-erros futuros de caligrafia, os quais retificaria forçando o bico da bic, ou aniquilando-os por completo, sob a massa opulenta do 'branquinho'?
O certo, o correto, seria uma carta escrita à mão; mas quantas das mulheres de hojes, virtuais ou/e atuais, gostariam de receber um envelopim enfeitadim, contendo um palavreado delicado, dedicado a (não) explicitar um sentimento já implícito?
E a carta, ou melhor, a declaração clássica do amor, é algo desnecessário para as mulheres nos dias de atualmente? Quando o homem pensa estar revelando o segredo do universo é porque já foi o tempo da mulher descobri-lo, gostar, desgostar e se achar voando por outros campos ou lendo cartas em outros cantos.
E a minha carta? O que ela seria na história do homem? Minha intenção é que a mocinha gostasse, apreciasse a minha quase atitude. Mas na história da humanidade, com tantos Joões, Clarices e Andrades, os meus escritos não resultariam em nada.
Não resultaram. Não a entreguei. Namorei, mas não fui namorado".
Ocorreu um erro neste gadget