terça-feira, outubro 31, 2006

...

A esperança de ser alividado lhe dá animo para sofrer.

M. Proust, No caminho de Swann

domingo, outubro 29, 2006

"..E os meus pensamentos são todos sensações..."


AHA! Vcs acharam que eu iria abandonar isso daqui né? Não, não.. eu não desisto tão fácil assim! Sou um pouco relapsa, mas não desisto de nada! Hehe

Não foi nem por falta de inspiração, mas por falta de tempo! Detesto reclamar por falta de tempo... afinal, é inútil, o tempo é esse e não há nada que se possa fazer pra poder mudar! Então, é só fazer o possível para se adaptar a ele.

Enfim... voltei.

No último post, disse que queria falar sobre cada um dos meus amigos particularmente.

Foi difícil começar por dois motivos:

1) já esclareci a falta de tempo! Rs

2) não consegui estabelecer um critério para começar.

É impossível estabelecer uma ordem de “importância”. Cada um tem a sua devida importância, e elas são incomparáveis e insubstituíveis!

Por isso, escolhi razões independentes, e o motivo que me levou a escrever sobre essa pessoa é: amanhã é seu aniversário!

Há 24 anos atrás nascia Michele Fernanda Saqui!

Quando ela nasceu, eu ainda nem existia, e quando poderia imaginar que um dia seríamos amigas? Moramos por anos na mesma cidade. Ela, desde sempre, eu, há 8 anos. E fomos nos encontrar na Unicamp, mais exatamente no IEL. Um dos presentes que veio junto com essa conquista foi ter essa pessoa na minha vida. Mais que minha veterana, minha amiga! Minha companheira balalaica, minha psicóloga, (e vice versa), minha cúmplice, minha confidente! Companhia de busão, de faculdade, de truffas na feirinha, de forró, de festinhas no IeL, de Baticuns, de Sol, de sorvete, de nada pra fazer... de uns tempos pra cá, estamos mais amigas ainda, e isso só faz com que eu tenha coisas boas pra desejar nesse dia!!

Michele é sentimento, intensidade, romantismo, sinceridade, risos e sorrisos, e, quando são necessárias, algumas lágrimas... é sinceridade, é singularidade!

É alguém que acredita, que pensa, que fala, que pensa, que sonha, que luta, que pensa, que questiona e não se conforma.

É difícil ser assim nos dias de hoje.. num mundo hipócrita, bajulador, vazio.. tanto sentimento puro e sincero em meio a tanta podridão faz com que ela sofra e se decepcione.

Mas nunca, nunca mesmo, que ela desista!!

E nesse novo ano de vida, eu desejo que vc continue a sonhar, continue a lutar, e continue a acreditar! Por mais que doa, por mais que seja difícil!

E peço que Deus te abençoe com muita saúde, com muita alegria, com muito sucesso e principalmente, muito amor... sim, vc merece, Mie! Muito amor!! E um dia, se existe justiça, se podemos acreditar em justiça (e eu quero acreditar!) vc terá o seu amor, vc terá alguém para dividir esse amor sincero que existe dentro de você.

Desejo que esse dia sirva para que vc lembre de seus sonhos, e realize todos, até mesmo aqueles que vc nem acreditava mais, e nunca deixe de sonhar!

E que nesse novo ano tenha mais baladas, mais baticuns, mais conversar no busão, e mais planos, e mais teorias e mais hipóteses... que sabe um dia a gente acerta, não é mesmo??

Sou um guardador de rebanhos.
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto.
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,

Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz.

(Alberto Caieiro, heterônimo de Fernando Pessoa)

Te Adoro Muito!!! Feliz Aniversário!!!!!

Bjuss... Sulis!!



ps.: Ainda não perdi a mania do fotolog de colocar fotos nos meus textos! rss

sábado, outubro 21, 2006

"Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.."


Não sou uma pessoa de muitos amigos. Afirmo isso comparado ao que é ter muitos amigos para algumas pessoas. Tem gente que tem 867 amigos no orkut e diz que só adiciona quem conhece. Eu tenho uns 282, dos quais nem mesmo um décimo são realmente meus amigos.
Sim, porque não chamo a qualquer um de amigo. Amigos não são pessoas que vc apenas sabe o nome, talvez sabe até onde estuda, ou só fala um Oi quando encontra na rua. Isso é.. é.. ah, sei lá o que é! mas não são amigos. Tenho um critério muito rígido pra incluir alguém no meu rol de amigos.
Isso pode até parecer chatisse ou antipatia.. mas calma lá, isso não significa que eu trate mal as outras pessoas, ou me ache tão importante pra poder "selecionar" meus amigos. Não é isso.
É que quando eu sou amiga, sou amiga mesmo!!! Quero tê-los comigo em tudo o que eu fizer, quero contar o que acontece na minha vida, meus planos, minhas alegrias, minhas tristezas, quero saber como eles estão.. quero matar quem está os fazendo chorar, quero ajudar quando estão com algum problema, quer dar uns puxões de orelha quando fazem algo de errado, só pra não vê-los sofrer. Amigos de verdade deixam saudades.. deixam boas lembranças. E mesmo que por muito tempo distante, tdo sempre continua igual!
Tenho também alguns amigos que nem sequer sabem "o quanto são meus amigos", pessoas que não sabem mas eu sempre torço pra que eles estejam bem e felizes. Eles não sabem, mas um dia, se precisarem, sem dúvida terão em mim, uma amiga.

Amizade é um dos sentimentos que eu mais prezo!! É um amor sincero, cumplice, fraternal. Pra mim, amizade envolve respeito, lealdade, carinho e consideração. Já senti paixão, talvez um amor.. (não sei, é tão complexo "amar"..) já perdi amores, mas nada se compara a decepção de perder um amigo. "E eu suportaria, embora não sem dor, que morressem todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos"

Porém, hoje só tenho a agradecer, pelas pessoas maravilhosas que tenho fazendo parte do meu dia a dia, que têm me ajudado a construir minha história e que me fazem sorrir até nos dias em que parece que tudo vai desabar na minha cabeça.
Quero falar de cada uma dessas pessoas em particular, dos detalhes que as torna especiais! amo cada um de um jeito, mas todos com o mesmo carinho sincero e verdadeiro.
Um Brinde, a todos os meus amigos, que fazem de mim uma pessoa mais feliz =]
Bjusss

sexta-feira, outubro 20, 2006

Dance... Se solte..Sinta a música!!!


(ps.: de preferência, leia ouvindo a música que está no link do título)
(ps2.: se é que deu certo o link.. =/)

...The way you look at me
The way you touch me
The fire in your eyes
(I swear) Makes me shivers inside
There's nothing I can do about it
'Cause nothing seems so truth
When I'm beside you
And my dream
Of all thing is all in my hand
Naked, perfect, so beautiful
You turn me up and down
I was spinning round and round
You never get enough, baby you don't
You're a shining star

The way you look at me
The way you touch me
The fire in your eyes
(I swear) Makes me shivers inside
There's nothing I can do about it
You're my soulmate, my summer and my faith
You fill me up with love
Your kisses are better than wine
There's nothing I want more than you, girl

The way you look at me
The way you touch me
The fire in your eyes
(I swear) Makes me shivers inside
There's nothing I can do about it
You're my soulmate, my summer and my faith
You fill me up with love
Your kisses are better than wine
There's nothing I want more than you, girl
You turn me up and down
I was spinning round and round
You never get enough, baby you don't
You're a shining star

The way you look at me
The way you touch me
The fire in your eyes
(I swear) Makes me shivers inside
There's nothing I can do about it
You're my soulmate, my summer and my faith
You fill me up with love
Your kisses are better than wine
There's nothing I want more than you, girl
You're my soulmate, my summer and my faith
You fill me up with love
Your kisses are better than wine
There's nothing I want more than you, girl

Get Far - Shining Star (tradução)
O jeito que você me olha
O jeito que você me toca
O fogo nos seus olhos
(Eu juro que) me faz tremer por dentro
Não há nada que eu possa fazer sobre isso
Porque nada parece tão verdadeiro
Quando estou ao seu lado
E meu sonho
De todas as coisas está todo na minha mão
Nua, perfeita, tão bonita
Você me faz ficar de cabeça pra baixo
Eu estava girando
Você nunca consegue o suficiente
Mas você é minha estrela brilhante

O jeito que você me olha
O jeito que você me toca
O fogo nos seus olhos
(Eu juro que) me faz tremer por dentro
Não há nada que eu possa fazer sobre isso
Você é minha alma gêmea, Meu verão e minha fé
Você me completou com amor
Seus beijos são melhores que vinho
Não há nada que eu queira mais do que você, garota

....

Passei a semana toda com essa música na cabeça! Ela é contagiante!!
Adoro música, adoro dançar.. dançar sem me preocupar se tem alguém
olhando, se tá bonito,
Ou se estão gostando..
dançar e dançar apenas!Sentindo a música seja ela qual for...


Ainda não tinha procurado saber a letra dessa música..
aí como resolvi colocar aqui, fui ver a tradução né..

E agora me pergunto:
Será que também posso ter esse poder sobre um cara??? ;-)


"... the way you look at me..
... the way you touch me.."

e o refrão não me sai da cabeça...

terça-feira, outubro 17, 2006

Nós quatro...


Sol, piscina, algumas cervejas, alguns narizes de palhaço. Olho pra mim, olho pro sol, olho pra minha volta: três pessoas. Três amigas. Ainda faltavam muitas, mas tinham três. Uma companheira de todas as horas - ócios, baladas, fossas, revoltas. Sóbria e por isso um poco quieta, talvez de saco cheio das baboseiras do alcool e de pessoas que pensam demais, mas ali, sempre.
Outra, companheira de cotidiano, uma das poucas pessoas com que eu posso conversar de literatura sem ver um olhar de reprovação ou então de "o que vc tá falando??". Altos papos no busão, altas teorias sobre a vida, os relacionamentos, os homens, o futuro. Nessa tarde de sol, mais teorias, mais reflexões, e muita cumplicidade. A terceira me ensinou o significado da palavra "Saudade".Mesmo há quilometros de distância, mesmo depois de alguns meses sem se ver, tudo como sempre... e eu penso: ainda bem!!! Nada muda! É a mesma amizade, é o mesmo sorriso. E por saber o que é saudade, mandei a merda os exercícios de gramática, o Kafka, a Eni Orlandi, todos! Eram apenas quatro dias juntos dessa puta véia que sabe Deus quando eu verei de novo!
Três amigas parças!! Daquelas que colocam o nariz de palhaço e vão a rua com vc. Daqueles que te aturam como bêbada inteligente, e que te escutam reclamar pela milhonésima vez sobre a sua má sorte no amor. Amigas que se dispõe a tirar fotos insanas.
Hoje é terça feira, e eu já queria que fosse sexta. Feriados mal acostumam a gente.
Quatro dias sem medo de acordar.
Quatro dias sem horários.
Quatro dias sem se preocupar...
Quatro dias com pessoas que eu gosto demais da conta!
...
Jue, Mie e Pir: foi a maió satisfação!
Bjos meninas!
E que venham mais feriados...

domingo, outubro 15, 2006

... Whatever...


Quando criei esse blog, dentre os muitos campos que eu tinha que preencher, um deles era um “quem sou eu”. Eu tentei, revirei, mexi.. mas não consegui encontrar uma definição.

Porém, para minha surpresa, percebi que os outros têm uma extrema facilidade em fazê-lo.

Assim, descobri dois novos adjetivos: exibida e influenciável.

Para mostrar que sou bem receptiva às críticas.. cá estou..

Exibida: adj. Mostrado, exposto; [fam.] exibicionista.

Influenciável: adj. Que não se deixa influenciar.

Esses dicionários de hj em dia são péssimos mesmo.. tsc, tsc,.. bom, mas o bom é que esses dois exemplos vão me render boas “teorias”.

Exibida.. bem, quando eu era pequena gostava de dançar lambada nas festinhas de família, sempre gostei de participar de teatrinhos, apresentações.. sempre sobra pra mim começar a falar nos seminários. Bem, como sou professora, acho fundamental ser desinibida pra falar.

Bem, se isso é ser exibida.. é, acho que sou exibida.

Há quem ache que o fato de eu ter um fotolog e um blog, também é motivo pra me chamar de exibida. Poxa.. e eu que me achava discreta comparada as miguxas! Como a gente se engana nessa vida, não??? Acho que tanto faz se vc publica fotos com os decotes exagerados e narcisistas (eu no banheiro, eu no casamento, eu na balada, eu, eu, eu.) ou se você publica foto dos seus amigos, da sua famílias, das pessoas com quem vc convive tem admiração e carinho. Cheguei a conclusão de que é tudo igual, ambos se exibem e ponto.

Então tá, já que sou exibida, aproveitem e visitem o meu fotolog: http://sueellencruz.nafoto.net/

Estou colocando as fotos do passeio ao museu de língua portuguesa, na Estação da Luz. Logo terá fotos também da Pinacoteca do Estado, e do Mercado Municipal (puro exibicionismo.)

Influenciável.. é quase cômico, pois a definição do dicionário é justamente o inverso do que a pessoa quis dizer!! Haha Por isso que eu amo estudar linguagem, notem: o contexto é tudo! O contexto é quem define o sentido da palavra. E nesse caso, a pessoa usou a palavra influenciável pra dizer que eu me deixo influenciar demais.

Oras.. e quem não se deixa?? Acho tão hipócrita as pessoas se julgarem essencialmente autêntica! Recebemos influência o tempo todo, todos os dias, por todos os lados, seja no trabalho, seja na família (principalmente, na família) na igreja, na escola, na faculdade, pelos amigos, pela TV, pela Internet e etc.. e a nossa personalidade foi se moldando através das influências. O que muda é que a partir de uma certa idade passamos a ter discernimento sobre o que nos parece certo e o que nos parece errado, e aí então, vc julga que essa sua personalidade atual é autêntica, sendo que ela já recebeu influências na sua formação. É aquela história: o individuo é influenciado pelo meio ( e vice e versa...)

Mas no meu caso isso é ruim. As minhas “teorias” não são minhas, são pura influencia dos outros. Cuidado... isso aqui não é meu, é plagio! E tem mais, sou extremista também!!

Desculpem-me.. mas vou continuar assim.. sabe por que?? Por que todo mundo é assim! E se tem uma coisa que eu não sou, e podem falar o que for, é hipócrita! Reconheço que o ser humano tem muitas falhas, e eu, como ser humano, não sou melhor nem pior do que ninguém.

E vou continuar aprendendo, ops, sendo influenciada, pelas pessoas que eu gosto! Tudo aquilo que eu achar importante aprender, eu vou aprender! Se eu acreditar que me acrescenta, vou tomar aquele discurso pra mim sim! Sou humilde o suficiente pra reconhecer que ainda não tenho minha opinião formada sobre alguns assuntos.

Enfim, acho que em pouco tempo vou conseguir completar o meu “quem sou eu”. Ou não..

Ah, uma coisa eu sei que sou: professora!

Então, um simples elogio a mim mesma, e aos meus colegas de classe, afinal, a gente merece:

“Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma, continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra".
Rubem Alves

Feliz Dia dos Professores!!



Foto: Nós, Guimarães Rosa e O Grande Sertão Veredas - Museu de Lingua Portuguesa/Estação da Luz - 08/10/2006

Alem de gorda, acho que estou com cara de professora nessa foto.

sábado, outubro 14, 2006

Sempre que possível pule ao invés de andar..


Um dia recebi um email com 19 (eu acho.. não me lembro ao certo o número) maneiras de manter seu nível de insanidade. Desde então, sempre que possível, eu pulo ao invés de andar. E para aqueles que nunca tentaram, eu aconselho: é muito divertido!
Mais legal que pular ao invés de andar, é sair pela rua usando nariz de palhaço. Mas não é ir numa festa! Não. É passar no posto de gasolina com o nariz de palhaço e conversar com o frentista naturalmente, e ainda olhar pra ele com aquela cara de "tá rindo do que???" hehehe
E ainda passear pelo centro da cidade, e conversar,pra finalizar, com o porteiro do condomínio. Ah.. com direito a tchau pras criancinhas que falavam "tchaaaaaaaaaaaaau, palhaço" (tudo bem que era uma palhaça né.. mas como eram crianças eu perdoo! rsss)
Não sei se dá pra expressar o quão divertido é...
pensando bem, acho que não mesmo...
mesmo porque não tem muitas pessoas que curtem fazer insanidades. É uma pena.
Acredito que isso diminue o risco de câncer.
Caso alguém queira tentar, aí vão algumas dicas de como ser insano no supermercado!
(email enviado pela Xulyandrews, claro, parça de insanidade!)

FORMAS CRIATIVAS DE SER SELVAGEM NO SUPERMERCADO

1. Agarre 20 caixas de preservativos e ponha-as em vários carrinhos,aleatoriamente, quando a pessoa estiver distraída.

2. Programe os despertadores para tocarem de 5 em 5 minutos.

3. Vá ao atendimento a clientes e pergunte se podem reservar um pacote de M&Ms pra você.

4. Monte uma tenda na seção de camping, diga aos outros clientes que vais passar a noite por lá, e convença as pessoas a trazerem almofadas da seção têxtil e a juntarem-se a você para um luau.

5. Quando um funcionário perguntar se você precisa de ajuda, comece a chorar e grite: "Porque é que vocês não me deixam em paaaaz ?

6. Encontre uma câmara de vigilância e use-a como espelho enquanto tira meleca do nariz.

7. Procure uma faca de açougueiro bem afiada. Leve-a contigo durante todo o percurso das compras e vá perguntando aos funcionários se ali vendem anti-depressivos.

8. Deslize pela loja com um ar suspeito, enquanto canta o tema da"Missão Impossível".

9. Esconda-se atrás das roupas que estão expostas em cabides e quando alguém estiver vendo os produtos grite "ME ESCOLHE! ME LEVA PARA CASA!"

10. Quando alguém anunciar seja o que for no alto-falante, deite no chão, em posição fetal, e grite"NÃÃÃO! As vozes! Outra vez as vozes!"
E, por fim:
Vá ao provador de roupa. Feche a porta, aguarde um minuto e depois grite Onde é que está a porra do papel higiênico????!"



E não se esqueçam, sempre.. sempre que possível, pule ao invés de andar!

quinta-feira, outubro 12, 2006

Dia das Crianças...


Depois dos 20 anos, o dia das crianças muda de sentido.. vc já não espera o presente, e sim, lembra daquele que você ganhava. Você não participa das gincanas, você leva seus alunos pra Gincana. Você não aprende a fazer o brinquedo, vc ensina a fazer o brinquedo.
Enfim, pra esse dia, só me vem a mente o clássico e piegas Casemiro de Abreu...

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

Como são belos os dias
Do despontar da existência!
- Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é - lago sereno,
O céu - um manto azulado,
O mundo - um sonho dourado,
A vida - um hino d'amor!

Que auroras, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d'estrelas,
A terra de aromas cheia,
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!

Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã.
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minha irmã!

Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
De camisa aberto ao peito,
- Pés descalços, braços nus -
Correndo pelas campinas
À roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!

Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo,
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!

Oh! Que saudades que tenho
Da aurora de minha vida (...)


(Meus Oito anos)

Feliz dia das Crianças.. a todos, pelas crianças que foram, pelas crianças que são...


quarta-feira, outubro 11, 2006

"Querido Diário..."


Esse último final de semana merece uma descrição como aquelas que eu costumava fazer quando tinha meus diários. Acredito que todas as meninas da minha época tiveram diário. Eu, particularmente, tive vários! Começavam sempre assim: Hoje fui pra escola, a prova tal foi assim. Fulano estava lindo e blá blá blá. Rssss
Continuo gostando de escrever, mudei o estilo.. mas a paixão ainda é a mesma.. (hum.. essa colocação me inspirou pra outra “teoria”, mas fica pra outro dia..)
Enfim...Tudo começou no sábado..
Como é bom acordar as 10h!
Eu tinha uma resenha pra terminar e é claro que eu não fiz. Afinal, estava um pouco ansiosa! E tinha coisas muito mais legais do que o “Sujeito na Analise do Discurso” pra eu pensar.
Recebi a visita de um amigo de tempos que, hoje, posso chamar de antigos. Um tempo que parece que foi outra vida... hoje tenho uma lembrança carinhosa, e não doída como era outrora. Naquela época, eu nunca poderia imaginar que o único que restaria daquele ciclo de amizades seria ele. Isso confirma que ele era o único que realmente se importava com a nossa amizade. Foi legal revê-lo, conversar e dar risadas. Gosto de ver que existem amizades que não acabam, que podemos ficar muito tempo sem se ver e tudo continua igual.
Por fim, o dia passou muito rápido, e quando vi, já era hora de embarcar no rápido serrano e ir pra Campinas. Eu e minha parceira de todas as horas, Jue. Encontramos a Marita no busão e fomos colocando o papo em dia, fazia tempo que não ficávamos todas juntas. Passou até rápido uma viagem que era pra ser péssima. (afinal, prefiro ter um filho VIADO do que um filho Rápido Serrano.)
O dia terminou com uma noite de gorda!!! Pizzas, coca cola.. (aliás, muuuita coca cola!!!) novela das 8, dvd do U2, batida de morango com leite condensado, caipirinha.. funk! (percebem, né? Quando entra álcool na história o nível começa a baixar rsss)
Que gostoso sentir o nariz formigar, algumas coisas se moverem mais devagar e tudo o que eu tenho vontade de falar fazer absoluto sentido: como é bom ficar bêbada, né, Stelinha? hahah
No outro dia, nós tínhamos que estar no IEL as 7h da manhã.. mas não queríamos dormir, estava tão legal, tão divertido.. pra quê dormir??
Quando o despertador tocou as 6h da manhã eu lembrei do “praquê dormir??”
6h10m.. PORQUE??????????? (Stelinha que o diga! Haha)
Depois de um ligeiro atraso, conseguimos encontrar o pessoal no busão! Daí pra frente só risada! Muito sono, mas muita vontade de conversar, dar risada, fazer piadas.. O lanchinho comunitário lembrou às excursões dos tempos de colégio. E como tem coisas que só acontecem comigo, eu tive que fazer com que a garrafa de guaraná explodisse e molhasse todo mundo! Sabe como é, não sou egoísta, então tive que compartilhar o guaraná com a galiera! Hehehe
O museu de língua portuguesa é muito legal, segundo nossa amiga Ju redhecula, a rainha das descrições perfeitas, um pouco hi tech e muito global.. Bom, eu simplesmente amei poder ver o texto de Grande Sertão Veredas na ÍNTEGRA com COMENTÁRIOS DO AUTOR! Fantástico... fora a Praça das Palavras.. uma sala escura que recitava poesias.. demais!!! Adorei mesmo.. quase pirei naquele lugar!
Depois, a saga por uma mesa no Mercado Municipal pra poder saborear o tão famoso sanduíche de pão com mortadela! Mais fama do que qualidade, mas é muito bom também! (afinal, eu adoro pão com mortadela!!!)
Ah.. aquele sono depois do almoço e ainda temos que visitar a Pinacoteca do Estado.Resultado: a pessoa praticamente dorme durante o concerto da mezzo-soprano Inês Stockler (para decepção e inconformismo da menina que se sentava ao meu lado.. ela me lançava um olhar do tipo: Tsc.. que povo sem cultura! Mas como diz minha sábia amiga Xulyandrews: Vc não pode julgar porque vc nunca sabe a história de vida das pessoas.)
Pra terminar: uma voltinha básica pelo acervo da Pinacoteca e uma volta pra casa com muita dor nas pernas e uma sensação gostosa.. de um fds diferente, na companhia de pessoas alegres, de bem com a vida.. e felizes por simplesmente estarem juntas. Adorei!

sábado, outubro 07, 2006

L'amour..hum hum.. c'est pas moi..

As pessoas costumam escrever sobre amores impossíveis, pessoas que se amam, mas que por algum motivo não podem (ou não conseguem) ficar juntas, seja pela distância física, seja pela distância “ideológica”, ou pela diferença de personalidade. O sofrimento por amor é sempre um tema de reflexão. Crises de ciúmes, casos de traição... ou até mesmo o “viveram felizes para sempre”.

Mas nunca ouvi alguém falar sobre a indiferença. Um dia desses, me convidaram para entrar numa comunidade do orkut que se chamava: Contrário do amor: Indiferença.

A descrição falava que nós descobrimos que o amor acabou (se é que ele um dia existiu..) não quando a outra pessoa te odeia, porque amor e ódio são sentimentos bem próximos. Mas se sabe que o amor acabou quando tudo que restou foi a indiferença.

Lembrei-me daquela música do “poeta” Zezé Di Carmargo: “é a sua indiferença que me mata..

Pouco se fala sobre a indiferença porque a vaidade humana não deixa admitir que uma outra pessoa esteja simplesmente NEM AÍ pro que vc faz, deixa de fazer ou pretende fazer. E bem aquele lance que o Lulu Santos canta em sua música “não imagine que te quero mal, apenas não te quero mais”.

Admitir essa verdade é negar sua própria vaidade. É aceitar que tudo aquilo que pra vc foi lindo, foi infinito, foi especial... para aquela pessoa não passou de apenas um fruto do acaso..

Saber que aquela pessoa por quem vc sente carinho, admiração, preocupação, mesmo com todos os defeitos, mesmo ela tendo te feito sofrer,(as vezes até sem perceber), aquela pessoa por quem vc seria incapaz de lhe fazer mal ou deixar que alguém lhe fizesse mal simplesmente está “nem aí” pra vc..

Isso mesmo: N-E-M – A-Í! Tentei achar uma palavra mais poética, ou menos forte, mas sejamos sinceros com nós mesmos. É assim que funciona. Pra algumas pessoas temos importância só enquanto somos úteis, e essa importância é essencialmente utilitária, a pessoa vai fingir que se importa enquanto ela “precisar” de você, quando ela não precisar mais, ela simplesmente vai estar nem aí, não adianta vc esperniar, fazer escândalos, dar chiliques, indiretas, provocações.. ela vai estar nem aí, porque vc não importa mais, porque ela não sente nada por vc.

Triste, né??
pois é, mundo real, caros amigos..

Não me excluo dessa realidade.. seria muito hipócrita da minha parte dizer que “as pessoas são assim”, e eu seria quem?? Madre Tereza de Calcutá?? Não, sou uma pessoa também, e não sei quem pode ter sofrido com a minha indiferença..

Só sei que cansei.. pra mim, pior que o “não deu certo”, ou o “acabou” é o “nunca existiu”..


E eu me pergunto:

"If I don’t need you then why am I crying on my bed?
If I don’t need you then why does your name resound in my head?
If you’re not for me then why does this distance maim my life?"

(You're not the one, Daniel Beddingfield)




sexta-feira, outubro 06, 2006

Um pouco de melancolia..


Quando estamos sem tempo (ou inspiração) pra fazer algo bem feito, a gente vai e copia de alguém que já o fez,não é?
Por isso, hoje vou pegar emprestado as letras dele, Raimundo Fagner, in Déslizes..
O tempo passa.. as coisas mudam, acontecem.. mas parece que tudo volta pro mesmo lugar..
Mas agora.. não preciso mais falar.. a música fala por mim..

Déslizes...

Não sei por que
Insisto tanto em te querer
Se você sempre faz de mim o que bem quer
Se ao teu lado sei tão pouco de você
É pelos outros que eu sei quem você é
Eu sei de tudo com quem andas
Aonde vais
Mas eu desfaço o meu ciúme
Mesmo assim
Pois aprendi que o meu silêncio vale mais
E desse jeito eu vou trazer você pra mim
E como prêmio eu recebo o teu abraço
(foda...)
Subornando o meu desejo tão antigo

E fecho os olhos para todos
Os teus passos
Me enganando só assim somos amigos (orra véi..)
Por quantas vezes me dá raiva de querer
Em concordar com tudo o que você me faz
Já fiz de tudo pra tentar te esquecer
Falta coragem para dizer que nunca mais
Nós somos cúmplices, nós dois
Somos culpados
No mesmo instante em que teu corpo
Toca o meu
Já não existe nem o certo nem errado
Só o amor que por encanto aconteceu
E é só assim que eu perdôo os teus deslizes
E é assim o nosso jeito de viver
Em outros braços tu resolves tuas crises
Em outras bocas não consigo te esquecer
(agora enfia a daga no coração...)

Fossa com Raimundo Fagner, é outra coisa

Vai passar.. tem que passar..

Foto: Pir, EU e Marita cantando déslizes em um dos Baticuns da vida.

segunda-feira, outubro 02, 2006

"Eu sei, mas não devia" por Marina Colasanti


Eu sei, mas não devia,. Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.
A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e não ter outra vista que não as janelas ao redor. E por que não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir as cortinas. E porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.
A gente se acostuma a acordar sobressaltado de amnhã porque está na hora. A tomar café correndo, porque está atrasado, A ler o jornal no ônibus porque não poder perder o tempo de viagem. A comer sanduíches porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já está noite. A cochilar no ônibus porque se está cansado, a deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.
A gente se acostuma a abir o jornal e ler sobre a guerra. E, acieitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz.
A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: "hoje não posso ir". A sorrir para pessoas sem receber um sorriso de volta, a ser ignorado quando precisamos tanto ser vistos.
A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o que necessita. A lutar para ganhar dinheiro com que se paga.E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila pra pagar. E a pagar muito mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez vai pagar mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filaas em que se cobra.
A gente se acostuma a andar nas ruas e ver cartazes. A abrir revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir comercias. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata de produtos.
A gente se acostuma com a poluição. Á luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural, às bactérias da agua potável. Á contaminação da água do mar. à lenta morte dos rios. Se acostuma a não ouvir o passarinho, a não ter galo na madrugada,a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta.
A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio você senta na primeira fileira e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, você molha só o pé e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no final de semana. E se no fim de semana não tem nada pra fazer, a gente vai dormir cedo, satisfeito porque tem sempre o sono atrasado.
A gente se acostuma para não ralar nas asperezas, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se da faca e das baionetas, para poupar o peito. A gente se acostuma a poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que de tanto se acostumar, se perde a si mesma.
(Marina Colasanti, Jornalista)

Ocorreu um erro neste gadget